Liquidação de operações de energia soma R$ 1,6 bi em maio

Informação foi divulgada hoje (11) pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
iStock
iStock

Ausência de pagamentos nas liquidações da CCEE tem prejudicado empresas que geralmente têm créditos a receber nessas operações

Acessibilidade


A liquidação financeira de operações no mercado de curto prazo de eletricidade referente a maio arrecadou R$ 1,62 bilhão, de um total de R$ 9,17 bilhões, contabilizados e cobrados junto às empresas do setor, disse hoje (11) a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

VEJA TAMBÉM: Cemig compra 431,5 MW de energia solar e eólica

Dos cerca de R$ 7,55 bilhões em aberto na liquidação, que promove pagamentos e recebimentos entre as empresas do mercado de energia, cerca de R$ 6,43 bilhões não foram quitados devido a liminares judiciais que impedem a cobrança.

Nessas ações judiciais, uma série de elétricas conseguiu proteção contra custos com o chamado “risco hidrológico” na operação de usinas – quando hidrelétricas precisam comprar energia no mercado para cumprir seus contratos devido a uma menor produção por fatores como o baixo nível dos reservatórios.

A CCEE disse que, fora os valores relacionados às liminares, cerca de R$ 1,12 bilhão ficaram em aberto na liquidação por outros motivos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A ausência de pagamentos nas liquidações da CCEE tem prejudicado empresas que geralmente têm créditos a receber nessas operações.

LEIA: Itaúsa vende ações da empresa de energia Elekeiroz

Segundo a CCEE, um grupo de empresas que obteve liminares para não ter descontos em seus créditos devido à inadimplência recebeu créditos referentes a 55% do que teriam direito.

Um outro grupo de agentes com liminares recebeu 11% dos créditos, enquanto agentes que não estão protegidos por nenhuma ação judicial não receberam seus pagamentos devido à falta de recursos, segundo a CCEE.

Compartilhe esta publicação: