Tencent tem primeira queda no lucro em quase 13 anos

Empresa sofre com limbo regulatório de seus jogos de videogames na China.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:

A aprovação de licenças para jogos foi congelada no país, que representa o maior mercado de videogames do mundo, devido a uma reestruturação do governo.

Acessibilidade


A gigante de tecnologia chinesa Tencent Holdings não tem clareza sobre quando poderá obter aprovação para começar a cobrar por seu videogame mais popular, informou a empresa hoje (15), após divulgar primeira queda trimestral do lucro em quase 13 anos diante da fraca receita com jogos.

LEIA MAIS: Estácio aumenta lucro líquido em 42,5%

O presidente da empresa, Martin Lau, disse que “o maior problema” antes que a Tencent pudesse retornar ao rápido crescimento da receita é obter aprovação para começar a cobrar pelo videogame PlayerUnknowns ‘Battlegrounds (PUBG) na China.

A aprovação de licenças para jogos foi congelada no país, que representa o maior mercado de videogames do mundo, devido a uma reestruturação do governo.

“Os fundamentos de jogos estão tão fortes quanto sempre”, disse Lau, apontando para o crescente número de usuários e downloads para os jogos da empresa. “O único problema que temos é que um dos nossos maiores jogos, o PUBG Mobile, não está monetizando. Isso é algo que está um pouco fora do nosso controle.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O PUBG é um jogo de batalha online com mais de 400 milhões de jogadores em todo o mundo desenvolvido pela empresa sul-coreana parceira da Tencent, Bluehole.

O lucro da Tencent no trimestre encerrado em junho caiu 2% em relação ao mesmo período do ano anterior, para 17,87 bilhões de iuanes (US$ 2,59 bilhões), enquanto a receita cresceu 30%, ritmo mais lento em três anos, para 73,68 bilhões de iuanes.

Os resultados mais fracos que o esperado chegaram um dia depois que o valor de mercado da Tencent caiu em cerca de US$ 15 bilhões devido às notícias de que os reguladores chineses impediram a compra de um de seus títulos mais populares, o “Monster Hunter: World”.

A perspectiva para a Tencent, que perdeu cerca de US$ 170 bilhões em valor de mercado desde o pico no final de janeiro, é ofuscada pelo aperto na regulamentação da internet em um país onde o governo pode construir ou quebrar um negócio.

A Tencent ainda não recebeu licença para cobrar pelo PUBG e para lançar o Fortnite, um jogo de torneio tático desenvolvido pela Epic Games.

Compartilhe esta publicação: