Elon Musk deixa a presidência do conselho da Tesla

Acordo com a SEC, a CVM americana, prevê uma multa de US$ 20 milhões.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Bobby Yip/File Photo/Reuters
Bobby Yip/File Photo/Reuters

Elon Musk é alvo de processo da Securities and Exchange Commission

Acessibilidade


Alvo de um processo da Securities and Exchange Commissionn (SEC), a CVM (Comissão de Valores Mobiliários), o empresário sul-africano Elon Musk vai deixar o comando do conselho da Tesla, sua fabricante de carros. O afastamento, por um período de três anos, faz parte de um acordo assinado com a agência reguladora do setor financeiro nos Estados Unidos, pelo qual Musk também deverá pagar uma multa de US$ 20 milhões. A SEC o acusa de fraude por fazer declarações falsas no Twitter, portanto públicas, que poderiam prejudicar investidores da Tesla.

LEIA MAIS: CVM americana processa Elon Musk, que perde US$ 1,1 bi

No dia 7 de agosto, Elon Musk, que segue CEO da companhia, disse ter “fundos garantidos” para fechar o capital da Tesla. Dias mais tarde, porém, recuou e declarou que a empresa seguiria na Bolsa de Valores. Em nenhum momento o empresário negou ter tentado ludibriar investidores. Agora, como parte do acordo firmado, a Tesla terá de formar um comitê de diretores independentes para acompanhar comunicados feitos ao mercado e possíveis conflitos de interesse, além de contar com dois diretores independentes e ampliar o monitoramento de Musk com os investidores.

O anúncio do processo da SEC caiu como uma bomba no mercado financeiro e o sul-africano perdeu, em um só dia, 1,1 bilhão de dólares. No dia seguinte, o mau desempenho continuou: nas sexta-feira (28), ações da companhia perderam 13% do valor.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Compartilhe esta publicação: