Maior pacto comercial do mundo deve ocorrer em novembro

Acordo deve ser fechado durante cúpula dos países participantes em Singapura.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Maior pacto comercial do mundo deve ocorrer em novembro - iStock
Maior pacto comercial do mundo deve ocorrer em novembro - iStock

Acordo comercial inclui membros da Associação das Nações do Sudoeste Asiático (Asean).

Acessibilidade


O ministro do Comércio de Singapura disse ontem (1) que o amplo acordo sobre o maior pacto comercial do mundo deve ser fechado durante uma cúpula dos países participantes na cidade-estado em novembro, seis anos depois que as negociações começaram.

VEJA TAMBÉM: Nestlé e Starbucks fecham acordo de US$ 7,15 bi

Chamado de Parceria Econômica Regional Compreensiva (RCEP, na sigla em inglês), o acordo comercial inclui os dez membros da Associação das Nações do Sudoeste Asiático (Asean), Austrália,Índia, Japão, Coreia do Sul, Nova Zelândia e a segunda maior economia do mundo, a China.

O acordo não inclui os Estados Unidos, que está preso em uma disputa comercial com a China e se retirou de outro amplo acordo internacional de comércio em 2017, chamado de Parceria Trans-Pacífica (TPP). A Casa Branca disse na última sexta-feira (31) que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não participaria do encontro de líderes em Singapura em novembro.

Indagado pela Reuters após o encontro regional de ministros econômicos se os países participantes trabalhavam por um acordo a tempo da cúpula no meio de novembro, o ministro do Comércio Chan Chun Sing disse: “Sim. Estamos buscando um acordo amplo, uma marca, para ser alcançada… quando os líderes se reunirem no fim do ano.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Entretanto, ele disse que não estava claro quando um acordo final seria assinado.

“Sobre a próxima fase do trabalho, uma vez que tenhamos ultrapassado esse ponto teremos uma ideia melhor… é um pouco cedo para dizer neste momento”, disse Chan.

Compartilhe esta publicação: