Embraer registra prejuízo de R$ 84 mi no 3º tri

Resultado foi impactado pela entrega de menos jatos comerciais no período.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Forbes
Forbes

Sozinha, a divisão de jatos executivos registrou prejuízo operacional de R$ 32 milhões nos primeiros nove meses do ano.

Acessibilidade


A Embraer registrou prejuízo líquido de R$ 84 milhões no terceiro trimestre, principalmente devido à entrega de menos jatos comerciais no período.

VEJA TAMBÉM: Embraer espera converter cartas de intenção de Farnborough

O valor dos aviões vendidos, mas ainda a serem entregues, atingiu uma mínima de cinco anos neste trimestre. A empresa também foi afetada pela perda de pedidos da Jet Blue para a rival Airbus, e teve que cortar 100 jatos comerciais de suas previsões de vendas devido a incertezas se pilotos concordariam em comandar aviões E175-E2 nos Estados Unidos.

O resultado ficou abaixo da previsão consensual para lucro líquido trimestral de R$ 4,2 milhões, segundo pesquisa da Refinitiv com analistas, e reverteu o lucro de R$ 355 milhões no mesmo período do ano passado. A receita caiu 12% ano a ano.

Agora, muito depende de a Embraer conseguir concluir a venda de 80% de seus negócios de aviação comercial a Boeing. O acordo foi fechado em julho, mas foi apenas nesta semana, após a eleição de Jair Bolsonaro à presidência, que a brasileira recebeu sinais claros de que o governo aprovaria a venda.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O provável futuro ministro da Defesa de Bolsonaro disse à Reuters que o presidente eleito é a favor do acordo e que poderia ser aprovado ainda no mandato de Michel Temer.

E AINDA: BNDES questiona valor da Embraer sem Boeing

A venda, no entanto, significaria que a Embraer teria que sustentar a companhia em grande parte com suas divisões de jatos executivos e de defesa, ambas operando com prejuízo nos últimos trimestres.

A divisão de jatos executivos registrou prejuízo operacional de R$ 32 milhões nos primeiros nove meses do ano, enquanto a divisão de defesa teve prejuízo operacional de R$ 443 milhões.

A empresa informou que o resultado negativo da divisão de defesa foi por causa de um evento isolado quando o protótipo do KC-390 saiu da pista durante um teste em solo, atrasando a entrega e aumentando os custos de desenvolvimento.

A divisão comercial, por sua vez, obteve um lucro operacional de R$ 355 milhões nos nove meses até 30 de setembro.

Compartilhe esta publicação: