Norsk Hydro vai retomar produção da Alunorte no Pará

Produção na refinaria de alumina terá metade da capacidade.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Paulo Santos/Reuters
Paulo Santos/Reuters

Refinaria Alunorte, em Barcarena, no Pará, em 30/09/2008

Acessibilidade


O grupo norueguês Norsk Hydro obteve permissão das autoridades brasileiras para reiniciar a produção na refinaria de alumina Alunorte, a maior do mundo, localizada no Pará (PA), com a metade da capacidade, informou a produtora de metais em comunicado divulgado nesta terça-feira. A empresa disse na semana passada que fecharia a refinaria, bem como a mina de bauxita de Paragominas, em meio a uma disputa ambiental persistente que manteve as instalações operando a 50% da capacidade desde março.

LEIA MAIS: Hydro fecha toda a produção de alumina no Brasil, na Alunorte

A decisão de fechar a refinaria e de demitir 4.700 pessoas foi tomada quando o depósito de resíduos de bauxita da empresa estava prestes a atingir sua capacidade total, mas a Hydro conseguiu ontem (9) a permissão para usar uma tecnologia para aliviar a situação, disse a empresa.

“A Alunorte deverá ser capaz de aumentar a produção em até 50% em duas semanas”, disse a Hydro sobre a usina, que em capacidade total pode produzir cerca de 6,4 milhões de toneladas de alumina, ou 10 por cento da capacidade mundial fora da China. “A Hydro continua seu diálogo com todas as autoridades relevantes para trazer a Alunorte de volta à produção plena e normalizar suas operações no Brasil.”

A produção da Alunorte, o suficiente para produzir mais de 3 milhões de toneladas de alumínio por ano, é vendida para usinas de metal em todo o mundo, incluindo instalações próprias da Hydro na Noruega e no Brasil, e as paralisações elevaram os preços globais do metal.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

 

Compartilhe esta publicação: