Corte japonesa ordena soltura de Greg Kelly, ex-Nissan

Já Ghosn, ex-presidente do conselho de administração, deve seguir preso

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Já Ghosn, ex-presidente do conselho de administração, deve seguir preso

Acessibilidade


Um tribunal de Tóquio rejeitou nesta terça-feira um recurso da promotoria e determinou que o ex-diretor da Nissan Greg Kelly seja solto após mais de um mês preso. A Corte do Distrito de Tóquio decidiu que o norte-americano Kelly seja libertado, enquanto Carlos Ghosn, ex-presidente do conselho de administração da Nissan, deve permanecer detido. Kelly pagou uma fiança de 70 milhões de ienes (US$ 640 mil) em dinheiro, segundo a Justiça.

LEIA MAIS: Carlos Ghosn tem nova ordem de prisão decretada

O executivo foi preso junto com seu ex-chefe sob suspeita de ter ocultado por muitos anos os ganhos reais de Ghosn nos registros financeiros da empresa. Nenhum dos dois executivo teve ainda a oportunidade de se defender em público, o que Kelly deve ter a chance de fazer após libertado.

Um tribunal japonês decidiu no domingo prorrogar por 10 dias a prisão de Carlos Ghosn, que tem enfrentado novas acusações de ter empurrado para a empresa US$ 16,6 milhões de perdas em investimentos pessoais.


Já está no disponível no aplicativo ForbesBrasil a edição 64 com a lista Under30.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Baixe o app na Play Store ou na App Store.

Compartilhe esta publicação: