Sindicato alemão convoca greve em galpões da Amazon

Entidade pressiona por salários equivalentes aos do varejo no país

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Durante a Black Friday deste ano, em novembro, trabalhadores da Amazon na Alemanha e na Espanha fizeram greves, mas a empresa disse que não houve impacto nas encomendas dos clientes.

Acessibilidade


O sindicato alemão Verdi convocou hoje (17) greve dos empregados de dois centros logísticos da Amazon na Alemanha, em uma campanha por melhores salários e condições de trabalho.

LEIA TAMBÉM: Amazon.com torna-se empresa mais valiosa em Wall Street

O Verdi tem organizado greves frequentes na Amazon na Alemanha desde 2013 para pressionar a companhia a aumentar salários dos galpões logísticos para níveis de acordo com o estabelecido pelos setores de varejo e entrega de encomendas.

A gigante do varejo tem se recusado a aceitar as exigências da entidade, afirmando que acredita que seus funcionários nos centros de distribuição devem ser pagos em linha com concorrentes do setor de logística, não com os de varejo. A Alemanha é o segundo maior mercado da Amazon depois dos Estados Unidos.

Durante a Black Friday deste ano, em novembro, trabalhadores da Amazon na Alemanha e na Espanha fizeram greves, mas a empresa disse que não houve impacto nas encomendas dos clientes.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O Verdi convocou greve em um galpão em Werne, no oeste do país, até amanhã (18), e informou que o protesto deve continuar até o Natal no galpão de Leipzig, no leste do país.

“Demos repetidas vezes mais tempo para a Amazon reagir às nossas exigências”, disse Thomas Schneider, representante do sindicato, afirmando que é uma “provocação” a Amazon se recusar a negociar. “Vamos ver se as promessas deles de entregar as encomendas pontualmente até a véspera do Natal vão ser cumpridas”, acrescentou.

Compartilhe esta publicação: