Fiat Chrysler vai pagar US$ 800 mi para encerrar ações

Montadora é acusada de fraudar testes de emissões de poluentes

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Reuters

O Departamento de Justiça afirmou que o acordo não encerra a investigação criminal em curso sobre a conduta da montadora

Acessibilidade


A Fiat Chrysler vai pagar cerca de US$ 800 milhões para encerrar ações do Departamento de Justiça dos Estados Unidos e do Estado da Califórnia que acusam a montadora de usar um software ilegal para fraudar testes de emissões de poluentes em motores diesel.

LEIA MAIS: Fiat Chrysler vai investir € 5 bi em novos modelos

O acordo divulgado hoje (10) inclui US$ 311 milhões em penalidade civis, até US$ 280 milhões para encerrar queixas de donos de veículos com motores a diesel e US$ 100 milhões em prorrogações de garantias. O acerto envolve 104 mil veículos Fiat Chrysler a diesel dos anos de 2014 a 2016, segundo documentos judiciais.

A montadora afirmou em comunicado que “mantém a posição de que a companhia não promoveu qualquer esquema deliberado para instalar dispositivos defeituosos para fraudar testes de emissões”.

Como parte do acordo, a Fiat Chrysler não vai admitir qualquer ato irregular. A fabricante alemã de autopeças Robert Bosch, que forneceu alguns componentes para motores a diesel, também vai pagar US$ 27,5 milhões para encerrar os processos. Os donos dos veículos vão receber em média US$ 2,8 mil para obter atualizações de software como parte do recall ligado aos testes de emissões, informou a Fiat Chrysler.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O Departamento de Justiça afirmou que o acordo não encerra a investigação criminal em curso sobre a conduta da montadora. O órgão regulador dos mercados financeiros dos EUA, a Securities and Exchange Commission (SEC), também está investigando.

Compartilhe esta publicação: