Justiça mantém bloqueio imposto à Vale de R$ 5 bi

Mineradora alega que medida é prejudicial ao seu funcionamento.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images

Mineradora alega que medida é prejudicial ao seu funcionamento

Acessibilidade


A Justiça de Minas Gerais indeferiu pedido da Vale e manteve bloqueio de R$ 5 bilhões, feito após ação do Ministério Público estadual devido ao rompimento de barragem da companhia em Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte (MG), na sexta-feira (25).

LEIA MAIS: Vale perde R$ 70 bi em valor e tem rating negativado

A companhia havia alegado que o “bloqueio era prejudicial ao funcionamento da empresa e se mostra exorbitante aos fins almejados, oportunidade em que oferece duas plantas de beneficiamento de minério em garantia”.

“O futuro financeiro da Vale S/A é absolutamente incerto e os danos causados são imensuráveis, o que robustece a necessidade de se ter à disposição do juízo valores em espécie para a efetivação de medidas emergenciais visando a reparação dos danos causados”, disse a juíza Perla Saliba Brito, em sua decisão.

O desastre deixou pelo menos 65 mortos e centenas de desaparecidos depois que uma avalanche de lama foi despejada em área administrativa e restaurante da própria Vale, em horário de almoço. Rios, vegetações e comunidades também foram atingidas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Desde o rompimento da barragem de Brumadinho, a Vale já teve contra si a decretação de quatro bloqueios judiciais e a aplicação de outras duas sanções por órgãos administrativos no valor total de R$ 12,1 bilhões, segundo levantamento feito pela Reuters ontem (28).

Compartilhe esta publicação: