Lucro líquido da Cargill cai 20% com guerra comercial

Setor de suínos da China e negócio leiteiro nos EUA enfrentam desafios

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Setor de suínos da China e negócio leiteiro nos EUA enfrentam desafios

Acessibilidade


A companhia global do agronegócio Cargill anunciou nesta quinta-feira uma queda de 20% no lucro líquido do segundo trimestre fiscal de 2019, com as tensões comerciais impactando seus resultados em meio a desafios no setor de suínos da China e um problemático negócio leiteiro nos Estados Unidos.

LEIA MAIS: Cargill planeja investir R$ 550 mi em fábrica no Brasil

Três das quatro unidades de negócios da empresa reportaram resultados inferiores aos de igual período do ano anterior.

Embora a demanda permaneça forte nos negócios de carne bovina da empresa na América do Norte, a Cargill disse que os obstáculos políticos e de mercado prejudicam muitas unidades, particularmente suas divisões de proteína e ingredientes alimentícios, ambas áreas de crescimento estratégico.

A instabilidade política na América Central e os desafios de mercado no Sudeste Asiático afetaram seus esforços no segmento avícola, disse a empresa. Enquanto isso, os lucros de seus negócios de amidos e adoçantes caíram à medida que os preços do etanol nos EUA atingiram mínimas históricas e os custos das matérias-primas aumentaram na Europa.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A empresa de capital fechado informou que seu lucro líquido para o trimestre encerrado em 30 de novembro de 2018 foi de US$ 741 milhões, uma queda de 20% em relação aos US$ 924 milhões um ano antes.

As receitas do segundo trimestre da Cargill caíram 4%, para US$ 28 bilhões, elevando o acumulado do ano para US$ 56,7 bilhões. O lucro operacional ajustado trimestral da empresa foi de US$ 853 milhões, uma queda de 10%.

Compartilhe esta publicação: