Cade dá aval para aquisição de ativos da Eletrobras

Compras foram feitas pela Taesa e J. Malucelli em leilão no ano passado.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
iStock
iStock

Os três negócios foram fechados em setembro do ano passado, em leilão realizado pela Eletrobras

Acessibilidade


A elétrica Taesa e o grupo de infraestrutura J. Malucelli tiveram aval sem restrições do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para aquisição de ativos da estatal Eletrobras, segundo despacho do órgão de defesa da concorrência no Diário Oficial da União de hoje (25).

LEIA MAIS: Capitalização da Eletrobras pode ser ainda em 2019

As operações envolvem a compra pela Taesa de fatias nas transmissoras Empresa de Transmissão do Alto Uruguai (ETAU) e Brasnorte, nos quais já era sócia, enquanto a J. Malucelli ampliará a participação em ativos de geração eólica no Rio Grande do Norte – Rei dos Ventos, Brasventos Eolo e Brasventos Miassaba.

Os três negócios foram fechados em setembro do ano passado, em leilão realizado pela Eletrobras para vender fatias em ativos de geração eólica e de transmissão, em meio a um plano de desinvestimentos que visava redução de dívidas.

Com as transações, a Taesa aumentará a fatia na Brasnorte de 38,6% para 88,37%. Na ETAU, a participação da transmissora irá para 75,6%, de 52,5% anteriormente.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Já a J. Malucelli ficará com 100% dos ativos eólicos no Rio Grande do Norte, que somam 187 megawatts em capacidade instalada, ante 51% anteriormente.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Compartilhe esta publicação: