Tim Sloan, CEO da Wells Fargo, renuncia

Getty Images
A Wells Fargo nomeou Allen Parker, que atuou como conselheiro geral, para a posição de CEO e presidente interino

O CEO da Wells Fargo está se afastando no rastro de um escândalo de contas falsas que atormenta o banco. Tim Sloan informou o conselho de diretores sobre sua decisão de se afastar da empresa por meio da renúncia ao cargo de CEO, presidente e membro do conselho a partir de 30 de junho de 2019.

LEIA MAIS: Leonel Andrade, CEO da Smiles, renuncia

A Wells Fargo nomeou Allen Parker, que atuou como conselheiro geral, para a posição de CEO e presidente interino (e membro do Conselho), com vigência imediata.

A companhia encarou uma enxurrada de notícias ruins nos últimos anos depois de um enorme escândalo de crédito e contas bancárias. Em 2016, o banco pagou US$ 185 milhões em função de alegações de que havia aberto mais de 3 milhões de contas não autorizadas. As contas falsas ajudaram a aumentar a receita da instituição em mais de US$ 2 milhões.

O escândalo custou ao então CEO, John Stumpf, seu emprego e o banco acabou pagando mais de US$ 2 bilhões em multas nos dois anos seguintes.

Sloan tomou posse em outubro de 2016, mas a situação não melhorou para a companhia, que foi alvo de processos judiciais devido ao escândalo das contas falsas. Os custos legais já totalizaram US$ 1 bilhão.

VEJA TAMBÉM: O segredo do sucesso do CEO da Microsoft

Os legisladores também criticaram a empresa e pediram a renúncia de Sloan. Além disso, o Federal Reserve limitou a capacidade de crescimento da empresa.

A notícia da troca de liderança repercutiu bem entre os investidores. As ações do banco subiram quase 4% no pregão do dia.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).