9 previsões para o setor bancário

GettyImages
Tecnologia e regulamentação mantêm o setor bancário em constante mudança.

Resumo:

  • Próximas mudanças exigem que as instituições financeiras entendam as novas necessidades do mercado;
  • Tecnologias como inteligência artificial e aprendizado de máquina serão aliadas no combate à lavagem de dinheiro e fraudes;
  • Economias emergentes tendem a cobrir as lacunas da presença de instituições financeiras com aplicativos;
  • Novos pequenos bancos podem oferecer serviços deixados de lado pelas grandes instituições.

A tecnologia atual e os desenvolvimentos regulatórios mantêm o segmento financeiro em um estado quase constante de mudança. E, com tantas delas em andamento, pode ser difícil para os líderes da área acompanharem tudo e planejarem os próximos passos. No entanto, existem maneiras de se adaptar às tendências.

VEJA TAMBÉM: Cashback: conheça o novo modelo de compras que devolve dinheiro

Veja, na galeria de imagens a seguir, 9 previsões de integrantes do Forbes Finance Council sobre as prováveis mudanças mais impactantes para o setor bancário nos próximos cinco anos:

  • 1. Fintechs, machine learning e inteligência artificial no combate à fraude e lavagem de dinheiro

    Aprendizado de máquina e inteligência artificial são responsáveis por um impacto substancial no setor bancário, e isso explodirá nos próximos cinco anos. A IA simplesmente faz um trabalho mais minucioso do que os seres humanos quando se trata de analisar e detectar tendências em grandes quantidades de dados. Uma área que certamente passará por transformação é a identificação de lavagem de dinheiro e fraude. Órgãos reguladores têm exigido dos bancos mais ação e a IA pode ajudar muito nisso.

    Ismael Wrixen, CEO da FE Internacional, empresa de serviços de consultoria de fusões e aquisições para empresas de middle-market SaaS, ecommerce e conteúdo de negócios.

  • 2. O relacionamento bancário será focado na experiência online

    Com a tecnologia dominando o mundo, o setor bancário terá que evoluir como parceiro. A experiência bancária será focada no online, diminuindo o rastro de papel, o que significa dispensar tudo que ainda é impresso. Além disso, a tecnologia financeira deve evoluir para se tornar mais fácil de usar, possibilitando a todos acesso fácil e rápido às suas finanças.

    Greg Herlean, President da Horizon Trust, empresa de custódia para autogestão de aposentadoria individual

  • 3. O blockchain vai transformar a experiência bancária

    As instituições financeiras precisam pensar como empresas de tecnologia – e o blockchain oferece a chance de fazer isso. A maioria dos investimentos nos últimos 20 anos foi feita em iniciativas voltadas ao consumidor. O blockchain é um catalisador para transformar os processos manuais de back-office e eliminar muitos erros, o que pode criar uma verdadeira experiência digital de ponta a ponta.

    Maryanne Morrow, CEO e fundadora da 9th Gear Technologies, startup de tecnologia blockchain

  • 4. Aplicativos preencherão as lacunas bancárias em economias emergentes

    As economias desenvolvidas estão cobertas por uma infinidade de serviços online e offline, mas as emergentes não. Os países nos quais o setor bancário é lento ou excessivamente regulado têm uma variedade de empresas que fazem a diferença para ocupar essa lacuna. Para ver qual o caminho seguido nessa direção, basta olhar para nações como a China e a Tailândia, que ignoram o sistema bancário tradicional para apostar em aplicativos inovadores.

    Vlad Rusz, Fundador da Vlad Corp. EUA, empresa de gestão de negócios

  • 5. Os bancos se adaptarão às empresas virtuais

    Existem muitas empresas virtuais em formação com equipes que não necessariamente estão no mesmo estado ou região. Muitos dos grandes bancos ainda não têm políticas flexíveis para que clientes em potencial criem contas bancárias quando parte dos funcionários não está concentrada em um mesmo lugar. As grandes instituições financeiras precisam se adaptar a essas iniciativas.

    Ben Jen, Diretor de Consultoria e investimento da Ben Jen Holdings SLLC, empresa de consultoria de gestão e investimento

  • 6. A automação se tornará mais presente

    À medida que o setor bancário se torna mais eficiente, ele começará a usar a tecnologia com mais inteligência – substituindo, por exemplo, caixas, bancos de negócios e, eventualmente, locais com máquinas. Mais serviços bancários serão feitos online e por telefone, a ponto de você quase nunca precisar entrar em uma agência.

    Khurram Chohan, fundador da Together CFO, empresa de gestão financeira

  • 7. Haverá mais transparência bancária

    Os bancos ganham muito dinheiro de maneiras. às vezes, incompreensíveis, como com o dinheiro que as pessoas deixam em suas contas. À medida que as instituições se posicionam no meio online, veremos uma transparência muito maior devido à concorrência. Isso fará com que os consumidores fiquem mais instruídos e acabem reduzindo os lucros das empresas bancárias.

    Peter Mallouk, presidente da Creative Planning, empresa de gestão de fortunas

  • 8. O MoIp redefinirá os bancos

    Assim como o protocolo de Voz sobre Internet (VoIP) permitiu ao Skype inovar o modelo de negócios das operadoras de telefonia móvel em todo o mundo, a evolução das moedas virtuais para o protocolo de dinheiro sobre internet (MoIP) redefinirá o setor bancário. Os novos participantes que capitalizarem as eficiências do MoIP, como a liquidação em tempo real, poderão forçar os bancos a mudarem rapidamente e adotarem novos modelos de negócios.

    Christian Kameir, diretor geral da Sustany Capital, empresa de investimento em blockchain, Moip e tecnologias de regulamentação

  • 9. Abertura de novos pequenos bancos

    À medida que os bancos maiores crescem, eles eliminam as instituições de médio porte, o que faz com os pequenos fiquem com a fatia referente a tomadores de empréstimos ou depositantes que não se encaixam nos moldes das grandes companhias. Bancos de pequeno porte serão criados para atender a esse novo segmento de clientes.

    Chris Tierney, sócio da Moore Colson CPAs e Advisors, empresa de gestão financeira

1. Fintechs, machine learning e inteligência artificial no combate à fraude e lavagem de dinheiro

Aprendizado de máquina e inteligência artificial são responsáveis por um impacto substancial no setor bancário, e isso explodirá nos próximos cinco anos. A IA simplesmente faz um trabalho mais minucioso do que os seres humanos quando se trata de analisar e detectar tendências em grandes quantidades de dados. Uma área que certamente passará por transformação é a identificação de lavagem de dinheiro e fraude. Órgãos reguladores têm exigido dos bancos mais ação e a IA pode ajudar muito nisso.

Ismael Wrixen, CEO da FE Internacional, empresa de serviços de consultoria de fusões e aquisições para empresas de middle-market SaaS, ecommerce e conteúdo de negócios.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).