Como construir um ecossistema robusto de startup

GettyImages
As melhores ideias e os melhores talentos são inúteis sem o capital

Resumo:

  • Ecossistemas de startups servem como um roteiro para os próximos empreendimentos locais;
  • Os pontos mais importantes de uma comunidade empreendedora são: capital suficiente para todas as fases do negócio, acesso a talentos que podem contribuir para o crescimento da empresa, boas ideias e empresas que possam ser parceiras ou comprar o produto desenvolvido;
  • Os personagens envolvidos em um ecossistema de startup são: empreendedores, mentores, investidores, incubadoras, universidades, corporações, associações, prestadoras de serviços e governo;
  • Economicamente é preciso ter o capital da empresa bem distribuído, aguardar o melhor momento da saída, reinvestir o montante da transação em outras iniciativas e não ter medo de se arriscar;
  • No geral, é necessário ter uma boa liderança, atuar em conjunto com as demais iniciativas locais e apostar nos pontos fortes da região.

Ecossistemas de startups estão surgindo em todo o mundo, com diferentes níveis de sucesso. Existe um mix de ingredientes necessários para fazer um projeto desse tipo prosperar com o tempo.

VEJA TAMBÉM: Usher e Jay-Z investem US$ 8 mi em startup de catering

Os ingredientes mais importantes

Acesso a grandes ideias

Grandes ideias se transformam em ótimos negócios. Pense em construir “plataformas” sobre “recursos”, “inteligência” sobre “widgets” ou “analgésicos” sobre “vitaminas”. As startups são difíceis em todos os casos, independentemente do projeto, mas podem ser precursoras de grandes ideias.

Acesso a talentos

Grandes empreendedores, principalmente aqueles em série que aprenderam com erros anteriores, são os grandes personagens, em última análise capazes de ditar o sucesso de seus negócios e, por sua vez, do ecossistema.

Acesso ao capital

As melhores ideias e os melhores talentos são inúteis sem o capital para financiar sua visão. Se esse recurso é local, ótimo – os investidores gostam de investir perto de casa. Caso o financiamento venha de outra cidade, isso também é ótimo, desde que ele se disponha a lidar com viagens (muitas vezes isso não acontece). É fundamental que o capital esteja disponível para contemplar cada estágio de desenvolvimento, desde as fases iniciais até as de crescimento do negócio. Ter para o estágio semente, mas não para a Série A ou Série B, é a receita para um provável “apagão” da startup quando ela chegar ao nível de crescimento.

Acesso a clientes

Para mim, esta é a peça mais importante. Clientes geram receita. As receitas impressionam os investidores. Investidores financiam o crescimento. O crescimento leva a grandes saídas. Grandes saídas levam a um ecossistema robusto. E isso geralmente significa parcerias estreitas entre ideias de estágio inicial com empresas em processo avançado que podem comprar esses serviços (aquelas que apoiam a comunidade local de startups).

Jogadores-chaves

Empresários

Você precisa de equipes experientes para administrar os negócios de uma startup. E com um equilíbrio igual de qualificações necessárias da estratégia ao marketing, passando pela tecnologia e pelas demais áreas.

E AINDA: Como transformar a falha da sua startup em sucesso

Mentores

Os empreendedores de primeira viagem precisam ser capazes de fazer perguntas a líderes experientes, de maneira a ajudá-los a aumentar a curva de aprendizado, sem cometer os mesmos erros de seus antecessores.

Investidores

Quer sejam anjos individuais, redes organizadas de investidores, empresas de capital de risco, de private equity, escritórios familiares, corporações ou outras fontes de financiamento, não importa. O que importa é o dinheiro fluir.

Incubadoras

Esta categoria capta tudo, desde espaços de escritórios compartilhados para startups até programas formais de aceleração de startups com currículo educacional formal. Estando próximos, os empreendedores podem aprender uns com os outros.

Universidades

Muitas das maiores ideias de negócios nascem de pesquisas nas universidades. Ter um processo saudável de transferência de tecnologia para que essas iniciativas sejam monetizadas por líderes empresariais é fundamental. E os professores universitários precisam saber que é perfeitamente aceitável tentar monetizar as ideias ao mesmo tempo em que tentam ganhar um prêmio Nobel (filosofia com a qual muitos não concordam).

Corporações

As grandes empresas locais podem ajudar de diversas maneiras. Elas investem por meio de fundos corporativos de capital de risco. São clientes potenciais de startups locais por possuírem entraves próprios que podem ser resolvidos por novos empreendimentos. As companhias geralmente são a saída para startups que ficaram grandes em tamanho. É necessária uma interação realmente saudável entre iniciativas e corporações que trabalham em direção a um objetivo comum.

SAIBA MAIS: 6 passos para planejar o sucesso da sua startup

Associações/Eventos

Existem muitos grupos que ajudam a organizar e impulsionar o ecossistema. Isso pode passar por associações comerciais do setor, associações de capital de risco, grupos de redes de empreendedores, câmaras de comércio, grupos de desenvolvimento econômico etc. Aproveite essas pessoas com ideias semelhantes nos grandes eventos anuais ou utilize as ferramentas oferecidas por elas (quadros de vagas de empregos nos sites das associações, por exemplo).

Governo

Seja na cidade ou no estado, o governo local pode desempenhar um papel muito importante, que pode contemplar incentivos fiscais, lucros livres de impostos em quaisquer ganhos de capital em uma iniciativa (para ajudar a estimular o investimento), aprovação de leis favoráveis ​​aos ecossistemas (como acesso gratuito à internet) ou o estabelecimento de fundos de capital de risco.

Provedores de serviço

Advogados, contadores, banqueiros, recrutadores, agências e consultores desempenham um papel na comunidade local. Quanto mais experiência tiverem com as startups, melhor será o conselho que elas levarão para o ecossistema.

Propriedade e economia

Divisão equitativa

A maioria dos empresários concentra o capital em apenas algumas pessoas no topo da organização. É melhor distribuir de forma equitativa para outros funcionários também. Por quê? Porque se os funcionários tiverem interesse no negócio, eles trabalharão mais para atingir a meta. E, quando a empresa for vendida por US$ 1 bilhão, ela cria centenas de milhões de dólares com novos fundos para iniciar a próxima startup, colocando o ecossistema em um outro nível.
to the next level.

Saídas em série

Vender empresas com grandes retornos impressiona os investidores. Mas, muitas vezes, um empreendedor de primeira viagem vê uma venda de US$ 50 milhões como “muito dinheiro” e vende a iniciativa de forma prematura para ter algum capital. Mas um empresário da segunda ou terceira viagem já depositou dinheiro em sua primeira saída e agora está em condições de deixar “rolar os dados”, e de recusar uma venda de US$ 50 milhões na esperança de encontrar uma oferta de US$ 500 milhões pelo caminho.

LEIA AQUI Startups unem tecnologia para substituir corpos

Reinvestimento de retorno

O dinheiro que vai simplesmente para a conta bancária ou para investimentos imobiliários seguros não ajuda o ecossistema. Ele precisa voltar para a comunidade. Então, se uma startup for vendida por US$ 100 milhões, é esperado que boa parte disso financie outras iniciativas.

Tiro para a lua

Muitos investidores são conservadores demais para acreditar que um ecossistema de startup pode ser bem-sucedido. O Vale do Silício se orgulha do “fracasso como um distintivo de honra”, já que as lições aprendidas em uma iniciativa ruim serão aplicadas na próxima iniciativa boa.

Conclusão

É preciso liderança

São necessários alguns líderes de torcida para “fincar a bandeira” e fazer com que todos estejam engajados em torno das metas da comunidade. De preferência, alguém que pode colocar dinheiro e se apoiar em um profundo portfólio de relacionamentos influentes em sua região (por exemplo, o governador, o prefeito, os bilionários locais).

Aproveite os pontos fortes locais

Descubra o que sua região faz melhor do que as outras e concentre seus esforços em torno desses setores ou habilidades. Por exemplo: Nova York seria um ótimo lugar para startups financeiras, enquanto Los Angeles tem um perfil mais direcionado para iniciativas relacionadas ao entretenimento.

Tudo isso requer densidade de negócios

É muito difícil construir uma comunidade robusta em cidades muito pequenas. Simplesmente não há atividade suficiente, abrangência de setores ou conhecimento profundo em qualquer segmento. Então, viva em uma região grande o suficiente para sustentar um ecossistema ou prepare-se para muitas viagens entre várias áreas menores.

VEJA TAMBÉM: Investidora usa IA para encontrar startups na Europa

Colaboração entre regiões

Não pense que um ecossistema de startups está isolado em sua cidade. Os melhores deles se alimentam mutuamente. Pense na colaboração que acontece entre os novos negócios de Nova York e Boston, dada sua proximidade com cada uma delas. Ou, entre Detroit e Alemanha – ambos servem à indústria automotiva.

Publicidade ajuda

O resto do país precisa saber o que você está fazendo. Não sobre o seu desejo de construir um ecossistema. Mas sobre o capital de risco que flui para a sua região, ou grandiosas saídas sendo realizadas em grandes avaliações. Portanto, celebre seus sucessos e divulgue essas histórias. Isso fará com que investidores e talentos se interessem por você.

O progresso deve ser medido

Como em qualquer empreendimento comercial, você deve ter uma boa mensuração para administrá-lo. Quantifique as principais métricas, como o capital levantado, o valor para o investidor, empresas formadas, empregos criados e as saídas de materiais do mercado. Trabalhe para que essas métricas melhorem ano após ano.

Não pode ser obrigado

A comunidade precisa compartilhar um objetivo comum. A meta de construir algo robusto não pode ser simplesmente adotada por poucos e obrigada para outros. Para ter sucesso, a ideia tem que ser abraçada pelos que participam da comunidade.

Leva tempo

Não espere milagres do dia para a noite. Ecossistemas não são construídos em poucos anos, mas sim ao longo de décadas. É por isso que a comunidade de startups do Vale do Silício é tão grande – foi investido muito trabalho nela desde os anos 1970.

E AINDA: Ex-CEO da Yahoo e da Autodesk e ex-estrela do futebol americano investem US$ 75 milhões em startup de maconha

Espero que agora você tenha uma melhor compreensão do que é necessário para criar um ecossistema robusto de startup. Não é possível fazer isso sozinho, é preciso colaborar como uma comunidade simbiótica com um conjunto compartilhado de objetivos comuns entre pessoas que são igualmente felizes ajudando os outros e a si mesmos. Esquematize a planta baixa da sua cidade, trabalhe por algumas décadas e espere para colher os bons frutos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).