Fintech de ‘meninos’ do Brasil é avaliada em US$ 1,1 bi

Divulgação
Pedro Franceschi e Henrique Dubugras, fundadores da Brex

Depois de venderem a startup de pagamentos online Pagar.me para a Stone em 2016, Henrique Dubugras e Pedro Franceschi mudaram-se para a Califórnia em setembro daquele ano e captaram o investimento que daria origem à Brex, em março de 2017. A fintech, que fornece cartão de crédito corporativo para startups, teve seu valor de mercado estimado em US$ 1,1 bilhão em outubro de 2018.

LEIA MAIS: O brasileiro de 22 anos que tem uma empresa de US$ 1 bi

Apesar de serem muito jovens (Henrique tem 23 anos e Pedro, 22) os fundadores já têm quase uma década de experiência no empreendedorismo digital – em 2015, foram destaque no Under 30 da FORBES. “Na primeira empresa, éramos muito mais focados em ganhar dinheiro e vender o negócio. Agora que já fizemos isso, nossa vida pessoal e profissional envolve muito mais planejamento e visão de longo prazo.”

Dentro desse planejamento está trazer a Brex ao Brasil até 2021. “Queremos antes dominar nosso mercado principal, os Estados Unidos. Mas devemos ter facilidade para lançar no Brasil porque conhecemos a turma do Banco Central, temos bons relacionamentos e sabemos quem gostaríamos de contratar e com quem faríamos parcerias,” diz Henrique.

Reportagem publicada na edição 64, lançada em janeiro de 2019

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).