Dólar avança ante o real

Mercado segue cauteloso com o exterior por disputa entre EUA e China.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
iStock
iStock

Às 10:29, o dólar avançava 0,59%, a R$ 4,0640 na venda

Acessibilidade


O dólar subia ante o real no pregão de hoje (23) acompanhando o exterior, onde há cautela por preocupações renovadas quanto à disputa comercial entre Estados Unidos e China, e tendo o cenário doméstico como pano de fundo.

LEIA MAIS: Dólar fecha longe das mínimas do dia

Às 10:29, o dólar avançava 0,59%, a R$ 4,0640 na venda. Na véspera, a moeda norte-americana encerrou com queda de 0,19%, a R$ 4,0402 na venda. O dólar futuro subia cerca de 0,5% neste pregão.

Na quarta-feira, a Câmara dos Deputados aprovou o texto principal da Medida Provisória 870, que modifica a estrutura do governo federal e reduz o número de ministérios, mas o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encerrou a sessão sem concluir a votação após um acirramento das tensões.

A expectativa de Maia é de que a votação seja concluída nesta quinta-feira, com a análise dos destaques.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em outra votação, a Câmara decidiu também que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) ficará sob o Ministério da Economia, um revés para o governo, que queria o órgão na pasta da Justiça.

Ainda na quarta-feira, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou a admissibilidade da reforma tributária, que agora passará por análise de uma comissão especial.

Enquanto a votação de importantes matérias econômicas por parlamentares reforça a leitura de agentes financeiros de que o Congresso está comprometido em avançar a agenda econômica, tal movimento já vinha sendo precificado.

VEJA TAMBÉM: Dólar recua ante o real

“Mercado já precificou antecipadamente esse empenho do governo em destravar as pautas das MPs para conseguir votar a 870, então hoje estamos acompanhando bem o externo e o movimento das emergentes”, explicou Camila Abdelmalack, economista da CM Capital Markets.

Com isso, o real passa a olhar mais para o exterior, operando em linha com outras moedas emergentes, que são pressionadas por temores renovados quanto à disputa entre Estados Unidos e China.

O Ministério do Comércio chinês disse que, se os EUA quiserem continuar com as negociações, precisam “corrigir suas ações erradas”.

O BC realiza neste pregão leilão de até 5,05 mil swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de julho, no total de US$ 10,089 bilhões.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Compartilhe esta publicação: