Mappin volta ao mercado como e-commerce

Tradicional loja de departamentos marcou o varejo brasileiro nos anos 1980 e 1990.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

O Mappin voltará ao mercado, mas de forma online, na próxima segunda-feira (10)

Acessibilidade


Mappin, venha correndo, Mappin, chegou a hora Mappin, é a liquidação.” Quem tem mais de 30 anos certamente se lembra do jingle da loja de departamentos que marcou o varejo brasileiro nas décadas de 1980 e 1990, antes de fechar definitivamente em 1999 e, uma década depois, vender os direitos da marca para a Marabraz por R$ 5 milhões.

LEIA MAIS: 10 países com maiores receitas de e-commerce por usuário

Agora, o tradicional nome da loja precursora do crediário – cuja imagem era fortemente associada à unidade da Praça Ramos de Azevedo, no centro de São Paulo – voltará ao mercado, mas de forma online. Na próxima segunda-feira (10), o e-commerce www.mappin.com.br estreará sob o comando da Blue Group, empresa responsável por toda a operação digital da varejista Marabraz. Nesta primeira fase, 15 mil itens de cama, mesa e banho, utilidades domésticas, móveis e decoração, entre outros setores, estarão à venda.

“Estamos animados e ansiosos para o lançamento. Sabemos que essa é uma marca muito querida, por isso todos os nossos esforços estão focados para atender às expectativas do público. A ideia do comércio eletrônico é tornar possível que as pessoas encontrem tudo o que procuram, como era a proposta da loja antigamente, mas agora sem precisar sair do conforto do lar”, explica Nader Fares, sócio-diretor comercial da Marabraz.

“O e-commerce virá com a mesma identidade visual das antigas lojas Mappin. Nosso foco será em proporcionar uma experiência de compra completa no ambiente digital. Para isso, estamos investindo mais de R$ 4 milhões em tecnologia, de maneira a oferecer um serviço de excelência”, comenta Abdul Fares, sócio-diretor financeiro da Marabraz.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

No segundo semestre, a intenção é que a plataforma opere no modelo de marketplace, ou seja, com a oferta de varejistas parceiros, aumentando o portfólio para mais de 500 mil itens.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Compartilhe esta publicação: