Uber testa entrega de comida com drone em San Diego

Divulgação
O programa piloto de entrega de drones se expandirá para além do McDonald’s

A Uber quer fazer entregas de comida por drones em San Diego, Califórnia, já neste verão americano. A empresa discute o lançamento desse tipo de serviço em áreas urbanas densas desde maio, e deve colocar em prática nas próximas semanas, quando restaurantes carregarão drones com as encomendas feitas por clientes localizados num raio de até 2,5 km do estabelecimento. O “alvo” da entrega será identificado por um QR code, que pode estar em um telhado. Mas o drone pousará em um local considerado seguro para a aterrissagem, onde funcionários da Uber poderão apanhar os pacotes para levá-los å porta dos consumidores. O serviço deve ter custo semelhante ao de uma entrega comum em San Diego: US$ 8,50 (ou R$ 32,8).

LEIA MAIS: Uber se alia ao Exército dos Estados Unidos

A Uber Eats está colaborando no experimento com a Uber Elevate, a divisão de mobilidade aérea urbana da empresa. Luke Fischer, chefe de operações de voo da Uber Elevate, considera crucial descobrir como a entrega de drones funcionará em densos ambientes urbanos, onde 68% da população mundial deverá viver até 2050, com poucos pontos de acesso como quintais. “Não precisamos direcionar os drones diretamente para nossos clientes, basta chegar perto”, disse ele na conferência do Uber Elevate em Washington, D.C.

A Uber firmou uma parceria inicial com o McDonald’s, sobretudo para planejar uma forma de manter hambúrgueres e batatas fritas quentes e intactas durante os vôos. A empresa de mobilidade urbana realizou algumas entregas em caráter de teste no mês passado, indo além da linha de visão visual de um McDonald’s para o campus da Universidade Estadual de San Diego com um drone AR200 pronto para uso. A companhia agora constrói um drone personalizado para entrega de alimentos que planeja estrear até o fim do ano.

O programa de testes em San Diego está sob os auspícios do Programa Piloto de Integração UAS, lançado em 2018 em dez localidades nos EUA para encontrar formas de integrar os drones ao espaço aéreo local. Segundo Fischer, a Uber está na fase final de conquistar a certificação da FAA como transportadora aérea sob as regras da Parte 135.

O programa piloto de entrega de drones se expandirá para além do McDonald’s para outros parceiros do restaurante Uber Eats, incluindo a rede local Juniper & Ivy. Em outros testes, a unidade Wing do Google recebeu aprovação do FAA no final de abril para testar os drones em Blacksburg, Virgínia, e a Matternet e a UPS começaram a transportar amostras de laboratório por drone em março no campus do Hospital WakeMed em Raleigh, Carolina do Norte.

O Uber Eats tem sido um ativo importante para a Uber, que continua perdendo bilhões por ano com a desaceleração do seu principal negócio, o de compartilhamento de viagens de carro. A Uber Eats poderia gerar pelo menos US$ 1 bilhão em receita só este ano, com entregas de US$ 10 bilhões em alimentos em todo o mundo, acima dos estimados US$ 6 bilhões do ano passado.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).