O Facebook está criando uma cripto máfia?

Getty Images / Nino El Nino
A startup Anchorage vem recebendo muita atenção no cripto mercado

Resumo:

  • A Libra Association, responsável pela criptomoeda do Facebook, já conta com parceiros de alto calibre como a Visa e o Uber;
  • Alguns dos membros fundadores da novidade vêm investindo milhões de dólares em startups criptonativas, como a Anchorage;
  • Tais movimentações chamaram a atenção de analistas da criptoeconomia.

Foi anunciado essa semana que a startup Anchorage, depositário criptonativo para investidores institucionais, conseguiu mais de US$ 40 milhões em fundos de série B, direcionados à construção do negócio. O financiamento foi liderado pela Blockchain Capital, empresa de capital de risco, e teve participação da Visa.

LEIA MAIS: A volatilidade da criptoeconomia pode ser positiva?

É notável que a gigante rede de pagamentos Visa esteja investindo em uma startup de blockchain, mas é ainda mais intrigante que ambas as companhias sejam membros fundadoras de uma potencial grande organização: a Libra Association, do Facebook.

A Anchorage ganhou fama rapidamente, igualando-se a grandes nomes da área graças à Libra. Entre esses nomes estão PayPal, Stripe, Mastercard, Spotify, Uber, eBay e, claro, o Facebook.

Agora, em vez de apenas estar no mesmo espaço que essas companhias, a Anchorage tem a chance de mostrar seus produtos a uma espécie de funil feito pela Libra. O que chama a atenção da Visa e de outros membros fundadores da Libra Association, como a empresa de capital de risco Andreessen Horowitz.

Seria difícil estabelecer uma linha do tempo de todas as reuniões de investimentos que a Anchorage teve com a Andreessen Horowitz, que levou a US$ 17 milhões em investimentos de série A em janeiro, e agora a Visa, mas certamente existe uma sobreposição com a fundação da Libra Association.

Será que o Facebook está não somente planejando tomar o mundo das criptomoedas, mas também plantar as sementes de uma máfia de negócios que ditam o tom nesse espaço emergente?

VEJA TAMBÉM: IBM e bancos australianos testarão uso de blockchain no varejo

 

As funções certas do blockchain

Os negócios da Anchorage, sem nenhuma associação com a Libra ou com o Facebook, ainda são um investimento atrativo para para empresas que querem utilizar o “criptopoder” de forma mais popular. A Anchorage quer proteger títulos em criptomoedas para investidores institucionais, mas isso abre portas para que essas instituições usem moedas digitais em suas operações.
Diogo Monica, co-fundador e presidente da Anchorage, conversou comigo sobre ser o “encanamento financeiro da nova infraestrutura de criptobens.”

Monica explicou a oferta da Anchorage como uma fonte de “encanamento financeiro” para criptobens que outras companhias podem usar em suas crescentes ofertas de criptomoeda. Ele também comparou isso ao que a Visa fez com seu “encanamento financeiro” relacionado à emergência de pagamentos com cartão pelo mundo.

“Estamos criando um encanamento financeiro, assim como a Visa,” afirma Monica. “Eles criaram o encanamento financeiro para que redes de cartão pudessem processar pagamentos, e a adoção de comerciantes e a aceitação do uso do cartão se tornaram mundiais”, diz.

Segundo ele, a Libra será construída em cima desse novo encanamento financeiro. “Ela exige serviços de compensação, todos os membros da associação exigirão algum tipo de compensação para carregar a Libra, assim como qualquer outra companhia que vá interagir com a nova moeda digital”, pondera.

A Anchorage acredita que o que eles são capazes de fazer é poderoso o suficiente para trazer paz e segurança para os simpatizantes da Libra e do Facebook realmente analisarem o universo das moedas digitais.

O principal mercado da empresa são instituições, e baseado em seus recentes investimentos e parcerias, a Anchorage está as alcançando. Mas, com instituições decidindo mergulhar no mundo cripto, e talvez até usando os serviços da Anchorage, é de se pensar quanto da legitimação será feita pela Libra Association.

VEJA TAMBÉM: Prédio em Paris é o primeiro a ser vendido totalmente em blockchain

 

Uma maré crescente

Monica está relativamente aberto em sua avaliação da Libra e no que ele fará pela legitimação e interesse em bens digitais. O fato de que o Facebook anunciou que criará uma moeda digital apoiada por empresas de bilhões de dólares como Visa, Uber, PayPal, Vodafone e outras prova que esse é um grande negócio.

“Eu acredito que a iniciativa da Libra é uma maré crescente que atinge todos os barcos,” fala Monica. “Ela aumenta a seriedade do uso do blockchain para transparência e transações financeiras, além de levantar e legitimizar os bens digitais, essa nova classe de bens que vem de encontro a nós.” Ele completa dizendo que a “a libra é uma maré crescente para criptomoedas e para o blockchain.”

A Anchorage está recebendo legitimação com base no mesmo argumento. Sendo uma das quatro empresas de blockchain na Libra Association e uma startup de três anos recém completados, eles foram colocados em uma posição privilegiada que elevou seu status.

Além disso, mesmo se a Visa e a Andreessen Horowitz estivessem prontos para investir antes de ir até o QG do Facebook e criar a associação, isso deve ter tornado o inventimento mais fácil.

De acordo com Monica, a Anchorage e a Visa vinham conversando fazia tempo, mas, para ele, há uma aceleração acontecendo para este tipo de negócio. Então talvez, a máfia da Libra do Facebook não tenha sido propositalmente formada para monopolizar o espaço, mas a aproximação dessas empresas pode levá-los a uma posição de líderes institucionais de criptomoedas.

“Eu acredito que a Visa tem a mesma visão da Anchorage, para que bens digitais sejam o centro das finanças globais”, diz o executivo. “O que estamos vendo é uma aceleração. Já faz muito tempo que falamos com a Visa. Eles são a empresa de fintech (finanças e tecnologia) original; a Visa era fintech antes mesmo do termo existir, e sempre esteve na frente da infraestrutura financeira.”

VEJA TAMBÉM: Bancos Centrais usam o blockchain para estabilizar o sistema financeiro global

 

A taxa de associação vale a pena?

A Libra Association faz parte de um consórcio de organizações sem fins lucrativos que ajuda a fiscalizar criptomoedas, a gerir os aspectos tecnológicos do projeto e a conversar com reguladores. Foi formado com 28 membros iniciais em Genebra mas tem aspirações de se expandir e ter até cem membros com direitos iguais de voto.

Ser parte dessa associação oferece, portanto, muito aos seus membros, assim como exige muito também. Anchorage, Visa, Eber e Stripe oferecem sua experiência variada para criar um fluxo de criptomoedas de sucesso, mas eles também se envolvem em uma série de outros assuntos.

Como uma empresa sem fins lucrativos, ainda existem outros bônus para esses membros que vão além de lucros, e até mesmo rápida aprovação e influência. Ainda é discutível se a Anchorage atrairá tanta atenção e investimento se a Libra Association não existir, mas eles certamente serão apoiados pela Visa e pela Andreessen Horowitz.

O Facebook está prestes a impulsionar a criação de um consórcio de criptomoedas líder, para potencialmente criar a primeira iteração de bens digitais para o grande mercado. Enquanto isso, os provedores escolhidos estão acelerando e criando interesse no espaço enquanto expandem suas conexões lateralmente na associação.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).