Chefe da LVMH, bilionário Bernard Arnault, critica a jovem ativista climática Greta Thunberg

Getty Images
Durante um evento ecológico da empresa, em Paris, ele disse que as ações dela são “desmoralizadoras”

Resumo:

  • Nesta semana, a ativista de 16 anos Greta Thunberg cobrou os chefes de Estado na Cúpula da ONU;
  • O bilionário Bernard Arnault falou sobre o assunto durante conferência climática do grupo de luxo LVMH, que ele lidera;
  • A fortuna líquida estimada de Arnault é de US$ 100 bilhões.

O homem mais rico da Europa, Bernard Arnault, criticou a ativista climática Greta Thunberg por “se render ao catastrofismo”, enquanto falava com jornalistas no evento de sustentabilidade da gigante de luxo, em Paris.

LEIA MAIS: Trump critica práticas comerciais da China na ONU

Arnault, cujo grupo LVMH ostenta marcas de luxo como Fendi, Christian Dior e Givenchy disse à AFP: “Acho que suas opiniões são desmoralizadoras para os jovens. Ela é uma jovem expressiva, mas está se rendendo completamente ao catastrofismo”.

Defendendo seus próprios objetivos “verdes”, Arnault disse: “Acreditamos que o desempenho ambiental é uma fonte de inovação, criatividade, excelência e deve ser considerado em todas as atividades de design e fabricação. Estamos comprometidos em acelerar nosso trabalho nesse campo e ir ainda mais longe.”

Empresas da indústria fashion, como como a LVMH, estão no centro das atenções quando o assunto é o impacto de suas cadeias de sustentabilidade e suprimentos na mudança climática. A holding prometeu reduzir suas emissões de carbono em 25% até 2020. Além de tornar sua cadeia de produção completamente rastreável, incluindo peles para fazendas individuais, até 2025.

As críticas chegam apenas dois dias depois que a jovem de 16 anos cobrou os chefes de Estado na Cúpula da ONU, em Nova York, por sua “traição” na luta contra o aquecimento global.

Depois de se juntar a milhões de jovens em protestos em todo o mundo para exigir ações emergenciais sobre as mudanças climáticas, Greta disse à ONU: “Vocês roubaram meus sonhos e minha infância com suas palavras vazias. Os olhos de todas as gerações futuras estão sobre vocês. E se vocês escolherem nos deixar, eu digo que nunca iremos perdoá-los. Não vamos deixar vocês escaparem disso. Estabelecemos nosso limite, aqui e agora”.

VEJA TAMBÉM: LVMH doa US$ 11 milhões para combater incêndios florestais na Amazônia

Com um patrimônio líquido estimado em US$ 100 bilhões, a riqueza de Bernard Arnault continua a crescer. Em 2019, seu grupo de artigos de luxo registrou vendas e lucros recordes, parte disso é graças ao aumento dos gastos dos clientes chineses.

No primeiro trimestre de 2019, a LVMH registrou receita de US$ 13,6 bilhões (€12,5 bilhões), um aumento de 16% comparado ao ano anterior.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).