Como empresas usam inteligência artificial para evitar fraudes

Getty Images
A inteligência artificial é cada vez mais adotada por empresas de diversas indústrias, mas para que ela seja eficiente, é preciso saber usá-la

Resumo:

  • O uso de inteligência artificial é cada vez mais comum por empresas de diversas áreas;
  • No entanto, muitas delas não sabem aplicar a tecnologia à sua indústria ou ao seu dia a dia, e acabam vulneráveis a roubos de dados e outros crimes virtuais;
  • Confira dicas de como usar a inteligência artificial nos negócios de forma adequada e segura.

Atualmente, presenciamos algo que era inimaginável há algumas décadas: a popularidade da automação e da inteligência artificial.

No mundo todo, as pessoas usam a Alexa, sistema de inteligência artificial da Amazon, em suas atividades do dia a dia. Elas escutam playlists personalizadas feitas pelo Spotify baseadas em seus gostos pessoais e descobrem novos filmes recomendados pelos algoritmos do Netflix. Carros que não precisam de motoristas são cada vez mais comuns. Robôs fazem de tudo, de fretes e entregas até o gerenciamento de desastres naturais. A IA está ajudando a prever casos de câncer. Os exemplos estão por toda parte.

LEIA MAIS: As tendências da cibersegurança da internet das coisas para 2019

Na área de prevenção de fraudes, a inteligência artificial e a automação dão indícios de que vão transformar radicalmente o combate ao crime online.

Nossa vida pessoal, profissional e financeira agora é online. Existem benefícios – como custo, eficiência, rapidez e acessibilidade -, mas também existem riscos. Somos lembrados todo dia com vazamentos de dados de que nossas informações são vulneráveis. Vivemos em uma era moderna de informações, onde o crime cibernético opera em grande escala e os criminosos têm o mesmo acesso às tecnologias de ponta.

Fraudes em grandes proporções

Os fraudadores modernos são altamente sofisticados. Eles alavancam tecnologias inovadoras e se adaptam com uma agilidade surpreendente. Controlam sistemas enormes e lançam ataques devastadores. Têm acesso a dados roubados na dark web e os utilizam para vários tipos de ataque. Bilhões de dólares são roubados. Reputações são destruídas. A confiança é quebrada. Suas ações e ataques são difíceis de se detectar e, quando esses criminosos têm sucesso, o impacto é devastador.

Esse acesso igualitário à tecnologia faz com que os negócios entrem nesse jogo de xadrez infinito, onde os riscos são altos. A inteligência artificial pode representar o xeque-mate, mas existe uma diferença entre ganhar e o potencial de vitória. Atualmente, organizações ainda têm dificuldades para operar com a inteligência artificial, e existe uma separação entre seu potencial e sua realidade.

Inteligência artificial: expectativa x realidade

Relatórios mostram que as indústrias estão cada vez mais adotando à inteligência artificial – tanto que uma nova onda de ceticismo já vem surgindo. Com altas expectativas e baixa disponibilidade de especialistas, é inevitável que alguns negócios sofram para fazer a nova tecnologia funcionar. Organizações acreditam que essa tecnologia pode resolver tudo: treinar, testar e aplicar um novo algoritmo e, como em um passe de mágica, aumentar a eficiência, diminuir os custos e gerar mais lucros.

Isso é uma fantasia, e a realidade é um pouco diferente.

A luta contra os cibercrimes ilustra bem a diferença entre essa a expectativa e a realidade. Fraude online é uma questão de importância imensurável. Todos os indivíduos e organizações que realizam transações online estão expostos ao risco, e a pressão sobre os negócios para que protejam seus dados é cada vez maior. Empresas estão implementando algoritmos para solucionar o problema o mais rápido possível, mas não estão tendo resultados. Por quê?

VEJA TAMBÉM: 10 empresas de cibersegurança para acompanhar em 2019

Pensamento além do algoritmo

Para deter a fraude moderna, todos precisam pensar além do algoritmo.

Não importa quantas soluções uma empresa escolher ou quantas estratégias implementar, ela vai precisar de infraestrutura para lidar com grandes quantidades de dados, estruturados ou não. É necessário ter experiência de domínio para lidar efetivamente com os dados, internamente ou com um relacionamento entre vendedor e consumidor. Poder computacional e análise são cruciais. Além disso, organizações precisam de sistemas e ferramentas que facilitem a colaboração entre todas as partes interessadas: cientistas de dados, analistas de fraudes, engenheiros e outras.

É uma receita complicada, e enquanto todas as empresas procuram soluções para seus problemas, existem componentes da inteligência artificial que se aplicam a diferentes cenários.

Uma receita para o sucesso movido à inteligência artificial

Comecei minha carreira como pesquisador. Minha relação com a área era como a de um criador de receitas com um restaurante: eu contribuía com algo vital, mas era só uma parte do todo. Aprendi que só as receitas não criam uma boa experiência gastronômica. Sucesso exige experiência na cozinha, bons ingredientes, o equipamento correto, uma cozinha bem feita e muito mais. Também aprendi que as soluções nem sempre são proporcionais. Estendendo minha metáfora culinária, cozinhar arroz para uma pessoa é uma coisa, cozinhar para mil pessoas é outra. Por isso inventamos máquinas de arroz, uma vez que não importa quão grande é o pedido: o arroz sempre sai perfeito.

O gerenciamento abrangente de fraudes funciona da mesma maneira. Algoritmos não são suficientes, e o sucesso exige mais do que regras, rótulos e modelos. Dados, experiência de domínio, algoritmos e todo o ecossistema de uma plataforma de fraude – dos modelos à monitoria – são necessários para a total proteção contra qualquer tipo de ataque. Modelos de detecção de fraude são tão bons quanto seus dados e recursos, e a gerência eficiente de dados e a efetiva engenharia de recursos exigem experiência de domínio. A performance de um modelo e sua eficácia dependem da infraestrutura computacional que toma decisões de qualidade em tempo real.

Falar sobre inteligência artificial o dia inteiro não comunica essas realidades efetivamente, mas é importante entender o que realmente é necessário para o combate de fraudes.

O reconhecimento do valor da inteligência artificial aplicada

Os fraudadores digitais de hoje se movem rapidamente, desenvolvem-se mais rápido ainda e têm acesso a tecnologias incríveis. É quase impossível saber seus próximos passos. No entanto, tecnologias como a automação não-supervisionada oferecem a chance de saber sobre o desconhecido. Com elas, é possível ver ataques emergentes se criando e pará-los antes que eles sejam lançados, não importa quão nova ou única seja a tecnologia usada.

Criminosos modernos sabem se disfarçar e cobrir seus rastros. Mesmo assim, é impossível não deixar pegadas digitais para trás – e essa é a grande vulnerabilidade desse processo. Com a combinação certa de experiência, ferramentas, técnicas e tecnologias, é possível esclarecer as operações desses criminosos e detê-los antes que eles causem mais danos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).