Família Trump quer vender hotel em Washington por US$ 500 milhões

GettyImages/ScottOlson
Presidente dos Estados Unidos quer vender os direitos de imóvel na capital norte-americana por valor bem acima do mercado

Resumo:

  • O “Wall Street Journal” noticiou que a movimentação da família Trump para vender um hotel em Washington seria um gesto para garantir mais transparência política ao presidente;
  • Especialistas avaliaram o imóvel em US$ 253 milhões, mas Trump pretende vendê-lo por US$ 500 milhões;
  • Desde que foi eleito, mais de 100 empreendimentos de sua organização já foram comercializados pelos filhos, que os administram;
  • Se a negociação for concretizada pelo preço que Trump quer, sua participação de 77% renderia cerca de US$ 200 milhões.

A Trump Organization está considerando vender o hotel do presidente em Washington, D.C., de acordo com o “Wall Street Journal”. O filho de Donald Trump, Eric, que é citado na reportagem, descreveu a ação como uma resposta às preocupações éticas sobre o hotel, que é visto como um lugar em que empresas e dignitários estrangeiros norte-americanos vão para bajular o presidente dos Estados Unidos.

LEIA MAIS: Democratas retomam depoimentos do impeachment de Trump após vitória na Justiça

No entanto, é improvável que colocar o local à venda vá diminuir as preocupações éticas. De acordo com o periódico, que citou “pessoas familiarizadas com o assunto”, a empresa está tentando vender seu arrendamento de longo prazo do prédio por mais de US$ 500 milhões, muito mais do que os especialistas na área dizem que o lugar vale.

Depois de falar com sete fontes do setor, a Forbes calculou o valor da propriedade em US$ 253 milhões. Especialistas do setor disseram que o hotel de 263 quartos pode arrecadar de US$ 750 mil a US$ 1 milhão por quarto no mercado aberto.

Na sexta-feira (25), Bill Moyer, um corretor de hotéis de Maryland, disse à Forbes que poderia imaginar um cenário em que a propriedade fosse vendida por US$ 1,5 milhão por quarto, cerca de US$ 395 milhões ao todo, mas US$ 500 milhões parecia excessivo. “Uma coisa é dizer: ‘vou tentar e ver se consigo essa quantia de dinheiro'”, disse Moyer. “Mas será que existe um sultão do Kuwait para fazer essa compra? Eu não sei. Não acho que um negociante competente pagaria US$ 2 milhões por quarto”.

Como Donald Trump tem a maior participação no hotel, 77,5%, ele seria o maior beneficiário de qualquer venda. Ivanka Trump, filha do presidente e que também se recusou a deixar seu patrimônio na propriedade ao se mudar para a Casa Branca, possui cerca de 7,5% da propriedade. Os dois irmãos mais velhos dela, Eric e Don Jr., possuem 7,5% de participação cada.

LEIA TAMBÉM: Trump diz que ser presidente lhe custou de US$ 2 bi a US$ 5 bi

Eric e Don Jr., que estão administrando os negócios da família, venderam mais de 100 propriedades do pai desde que ele assumiu o cargo, faturando mais de US$ 100 milhões. Esses acordos despertaram preocupações, já que permitem que qualquer pessoa façam pagamentos ao presidente dos Estados Unidos, em alguns casos, sem revelar quem eles são. Uma venda do hotel de Washington, D.C., seria, de longe, a maior transação deles.

Os Trumps fizeram um empréstimo no Deutsche Bank de US$ 170 milhões para o hotel. Uma venda de US$ 253 milhões permitiria ao presidente liquidar cerca de US$ 50 milhões depois de dívidas e impostos. Uma venda de U$ 500 milhões o deixaria com cerca de US$ 200 milhões. Nesse cenário, Eric, Don Jr. e Ivanka ficariam com cerca de US$ 20 milhões cada.

Nenhum porta-voz da Organização Trump atendeu a um pedido de comentário.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).