Como a Acer quer dominar o mercado de notebooks gamers

Divulgação
Empresa aposta em tecnologia de dissipação de calor, que aumenta o desempenho dos dispositivos em jogos eletrônicos

Resumo:

  • O segmento de computadores dedicados e games é o mais rentável da empresa taiwanesa Acer;
  • A companhia foca em dispositivos que impedem os notebooks de esquentar, melhorando seu desempenho;
  • Mouses, fones de ouvido e um software de análise de eSports também são desenvolvidos pela companhia de tecnologia.

Os visitantes do showroom na sede mundial da Acer, em Taipei (capital de Taiwan), podem experimentar uma engenhoca de jogos do tamanho da seção frontal de um carro: uma cadeira gamer imersiva da linha Predator 2019. A instalação de US$ 30 mil é composta por um desktop, um monitor de 327 polegadas e uma cadeira preta estofada. A empresa diz que 100 das mega-unidades já foram vendidas. Durante a Brasil Game Show 2019, o aparato tecnológico estava disponível para teste do público.

Mas agora a empresa, classificada pelo Gartner como a quinta maior desenvolvedora de PCs do mundo no terceiro trimestre, está tentando apostar em formatos menores. O material proprietário PowerGen está sendo usado para dispersar o calor de um PC de maneira a permitir que os laptops funcionem tão rápido quanto os computadores de mesa, disseram autoridades da empresa. Um notebook modelo pode surgir a partir de dezembro, atraindo jogadores que desejam portabilidade de um dispositivo menor, sem perder o desempenho.

LEIA MAIS: Empresas de tecnologia aproveitam Brasil Game Show para testar lançamentos

Essa inovação é importante porque os jogos são exclusivamente lucrativos, mas diminuem o crescimento global e um influxo de concorrentes ameaça a participação de mercado da Acer.

“Nosso notebook pode ser ainda melhor do que um desktop”, afirma Jerry Kao, codiretor de operações. “Talvez as pessoas pensem que os jogos neles são sempre mais fortes que um notebook, o que ainda é verdade se dentro da empresa. Mas se você estiver falando entre empresas, o notebook da Acer com o PowerGen é mais poderoso que os computadores de mesa dos concorrentes. Ter desempenho e ser mas mais fino é o que os clientes querem. ”

Tecnologia de dissipação de calor

O PowerGen se conecta ao processador central ou à placa gráfica de um computador para amenizar o aquecimento, afirma Andrew Chuang, gerente-geral de eSports da empresa. A companhia também está explorando projetos para os fãs que podem expelir melhor o calor, diz Chuang. “Com algumas das tecnologias, podemos tornar nossa plataforma relativamente fina, mais fina que outras”, diz ele.

Os desktops normalmente são mais rápidos, ideais para jogos de ação, porque sua parte interna tem mais espaço para peças e retém menos calor.

A Acer possui 300 patentes de gaming relacionadas à tecnologia térmica, diz Kao. Elas deixam os PCs mais finos, tornando-os “acessíveis” e rápidos para os jogadores profissionais de “League of Legends“, “Counter Strike” e outros jogos competitivos. O executivo afirma também que o preço será mais acessível.

Jason Chen, CEO da Acer desde 2014, pressionou o desenvolvimento das linhas de PCs para jogos Predator e Nitro da empresa. Ele disse em uma entrevista, no ano passado, que as unidades de jogos compunham uma parcela “alta de adolescentes” da margem bruta da Acer. A empresa produz mouses e fones de ouvido agora, diz Chuang, e trabalha em uma caixa de som dedicada a transmissões ao vivo.

Uma equipe de 80 pessoas também lançou um pacote de software de análise de eSports. A ferramenta consegue observar jogadores e coletar dados, incluindo comentários de usuários, podendo identificar pessoas entre os 454 milhões de jogadores do mundo que podem se qualificar como treinadores, comenta Chuang. Esse pacote, chamado Planet9, foi lançado em 22 de novembro.

VEJA TAMBÉM: Carreiras nos eSports: conheça 7 caminhos profissionais no setor

“Dada a fraqueza relativa da Acer no segmento comercial de PCs, que é dominado pelos três principais fornecedores, os jogos continuarão sendo um foco importante no espaço do consumidor devido aos preços médios de venda relativamente altos, aos ciclos de atualização mais rápidos e à oportunidade de agregar alta acessórios e periféricos de margem ”, diz Ishan Dutt, analista da empresa de pesquisa de mercado Canalys. “Também vimos a disposição da Acer em trazer alguma inovação de produto para sua linha de jogos”.

A estratégia da Acer no jogo para subir de nível na competição

A Acer deseja maximizar seus PCs para jogos em um mercado que agora está cheio de concorrentes, diz Tracy Tsai, analista de vice-presidente de Taipei da empresa de pesquisa de mercado Gartner. Os jogos continuam lucrativos, diz Tsai, embora o crescimento nos mercados mundiais esteja diminuindo. Os desenvolvedores de PC de Taiwan, Asustek Computer e MSI, começaram a jogar antes que a Acer entrasse cerca de cinco anos atrás. A Gigabyte Technology, também de Taiwan, lançou um notebook gamer ultra-rápido, em 2014.

A previsão do site estatístico “Newzoo” é de que mercado global de jogos cresça 7,2% neste ano em relação a 2018, para um valor total de US$ 148,8 bilhões. Originalmente, a previsão era de que os mais de 2,5 bilhões de jogadores do mundo gastassem US$ 152,1 bilhões este ano, um aumento de 9,6% em relação a 2018.

Kao diz que os hardwares de jogos (notebooks) são a linha de produtos mais vendidos da Acer. A empresa registrou NT$ 62,87 bilhões em receita no terceiro trimestre em todos os negócios e receita líquida de NT$ 1,18 bilhão, um ganho de 29% em relação ao ano anterior.

A Acer provavelmente exportou cerca de 100 mil notebooks e desktops para jogos no terceiro trimestre, uma alta proporção em comparação com outros fornecedores, diz Dutt. A Acer vendeu 4,2 milhões de PCs de todos os tipos no terceiro trimestre, segundo dados da Gartner.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).