3 maneiras como a economia freelancer pode impactar os negócios em 2020

GettyImages/ Westend61
Os Freelancers oferecem uma flexibilidade interessante para empregadores

A economia freelancer, ou gig no inglês, cresceu nos EUA nos últimos anos. De acordo com o relatório “Freelancing in America” de 2019, encomendado pela Upwork e pela União de Freelancers, 57 milhões de americanos atuaram como freelancers neste ano, em comparação com 53 milhões em 2014.

LEIA MAIS:Investimento em cultura da empresa é fundamental, diz Renee Mauldin, do Nubank

Para muitos, os dias de ir até um escritório corporativo para ficar preso a uma mesa por 8 a 10 horas por dia se foram. A força de trabalho parece estar mudando e os freelancers estão se tornando um dos principais contribuintes para a economia norte-americana.

Como alguém que fundou um mercado freelancer e que contrata e administra empresas completamente remotas nos últimos cinco anos, vi em primeira mão como este movimento está afetando proprietários de pequenas empresas, grandes corporações e profissionais em todo o mundo.

As empresas que continuam a depender de acordos tradicionais de emprego podem estar perdendo os melhores talentos. De acordo com o relatório “Freelancing in America”, 64% dos participantes da pesquisa dizem que “os profissionais que são os melhores em seu setor estão cada vez mais escolhendo trabalhar de forma independente”. O freelancer é atraente para muitos desses especialistas, dando a eles a liberdade de administrar seus próprios negócios e expandir seu alcance e perspectivas além de um único trabalho. À medida que mais e mais das melhores mentes se tornam independentes, elas se tornam indisponíveis para empresas que desejam contratá-las como funcionários tradicionais.

As empresas que adotam a economia freelancer, por outro lado, podem aproveitar essa abundância de talentos. Pelo que vi, o maior impacto é em empresas menores com orçamentos menores. A economia freelance permite que até empresas iniciadas por empreendedores individuais contratem assistentes, especialistas e consultores sem assumir a responsabilidade de um emprego em período integral.

LEIA TAMBÉM: Recrutar executivos de diversidade é tendência; veja como contratar

A economia freelancer está prosperando e parece estar pronta para algumas mudanças importantes que podem afetar as empresas. Aqui estão minhas previsões para o que podemos ver acontecer em 2020:

  • 1. Mais do que apenas criativos

    Tradicionalmente, o trabalho de contrato independente e freelancer tem sido pensado principalmente como uma esfera para criativos como designers gráficos, desenvolvedores de web, escritores e animadores de vídeo. Mas isso parece estar mudando.

    O relatório “Freelancing in America” observa que, embora a maioria ainda seja composta por profissionais de artes e design (75% de todos os profissionais de artes e design), áreas como entretenimento (59%), construção (52%) e várias outras, estão ganhando espaço no cenário. Acredito que veremos ainda mais tipos diferentes de profissionais (contadores, advogados, executivos, pilotos e muito mais) participando desse mundo.

    Essa mudança tem potencial para impactar significativamente os negócios, abrindo ainda mais as portas para a terceirização de praticamente qualquer tipo de tarefa. Graças à internet, quase todas as tarefas podem ser terceirizadas em praticamente qualquer lugar do mundo.

  • 2. Mais plataformas de nicho

    Quando as plataformas freelancers online começaram a aparecer, era um conceito completamente novo para a força de trabalho. Na última década, elas foram evoluindo lentamente. Upwork e Fiverr se tornaram dois dos principais players do mercado. Nos últimos anos, no entanto, começamos a ver uma mudança para plataformas independentes de nicho, e prevejo que essa tendência continuará em 2020.

    Alguns exemplos incluem a Paro, um marketplace que coloca em contato profissionais de finanças freelancers e empresas; a Freelance Aircrew, um banco de dados global que conecta pilotos e outros membros da tripulação aérea com os empregadores; e a Toptal, uma rede que conecta os principais profissionais de negócios, design e tecnologia a empresas que precisam desses serviços.

    Com o número de profissionais freelancers em ascensão e mais do que apenas criativos fazendo trabalhos, a demanda por esses nichos de mercado parece estar aumentando também. Prevejo que 2020 trará novas plataformas que constroem nichos menores dentro do setor. E, com acesso a essas plataformas, as empresas de nicho podem explorar talentos mais bem preparados para atender às suas necessidades específicas.

  • 3. Rápida expansão internacional

    Como nos EUA, o freelancer está impactando economias e forças de trabalho em todo o mundo. Embora Índia e Filipinas já sejam bem conhecidas como países de terceirização, prevejo que veremos mais áreas do mundo se tornando berços para esses trabalhadores.

    Em Dubai, por exemplo, os benefícios do freelancer atraíram profissionais. Como muitas empresas não podem contratar prestadores de serviços, elas se voltaram aos freelancers. Reconhecendo a diferença de habilidades, o governo de Abu Dhabi está incentivando o trabalho freelance, isentando os novos profissionais das taxas de licença comercial até dezembro de 2020. Isso certamente fará a força de trabalho mudar seu estilo de procura por emprego.

    Também vimos muitos profissionais freelancers se mudarem para algumas das principais cidades do mundo, onde o custo de vida é mais baixo. Espero que essa tendência continue à medida que avançamos em 2020. O freelancing oferece uma gama de liberdades que contribuem para um estilo de vida atraente. Não mais presos a uma mesa de escritório, muitos profissionais independentes estão optando por deixar as cidades lotadas para onde possam trabalhar e viver em um ambiente mais descontraído. Isso aumenta sua produtividade, pois diminui as despesas. À medida que mais pessoas adotam esse estilo de vida, opções de contratação mais atraentes também se tornam disponíveis para empresas em todo o mundo.

1. Mais do que apenas criativos

Tradicionalmente, o trabalho de contrato independente e freelancer tem sido pensado principalmente como uma esfera para criativos como designers gráficos, desenvolvedores de web, escritores e animadores de vídeo. Mas isso parece estar mudando.

O relatório “Freelancing in America” observa que, embora a maioria ainda seja composta por profissionais de artes e design (75% de todos os profissionais de artes e design), áreas como entretenimento (59%), construção (52%) e várias outras, estão ganhando espaço no cenário. Acredito que veremos ainda mais tipos diferentes de profissionais (contadores, advogados, executivos, pilotos e muito mais) participando desse mundo.

Essa mudança tem potencial para impactar significativamente os negócios, abrindo ainda mais as portas para a terceirização de praticamente qualquer tipo de tarefa. Graças à internet, quase todas as tarefas podem ser terceirizadas em praticamente qualquer lugar do mundo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).