Caixa Econômica Federal define sindicato de bancos para IPO de unidade de seguros

Caixa Seguridade, que será listada apenas no Brasil, deve ser avaliada em R$ 60 bilhões.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Caixa Seguridade, que será listada apenas no Brasil, deve ser avaliada em R$ 60 bilhões

Acessibilidade


A Caixa Econômica Federal escolheu o sindicato de bancos que coordenará a oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da unidade de seguros, disseram à Reuters três fontes com conhecimento do assunto.

O Morgan Stanley vai liderar um grupo de 10 bancos que inclui Bradesco BBI, Itaú BBA, Banco Plural, Banco BTG Pactual, Banco do Brasil, Credit Suisse, Santander Brasil, Bank of America e Caixa Econômica Federal, segundo as fontes.

LEIA MAIS: Caixa Econômica lançará em março linha de crédito imobiliário com juro fixo

A Caixa Seguridade será listada apenas no Brasil, embora os bancos devam distribuir parte das ações nos Estados Unidos usando regulamentos como o 144A. Espera-se que a Caixa Seguridade seja avaliada em R$ 60 bilhões.

A Caixa pretende vender cerca de R$ 10 bilhões em ações da Caixa Seguridade, reduzindo sua participação na empresa de seguros. A Caixa Seguridade não levantará recursos no IPO, que será inteiramente secundário, segundo as fontes.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, quer fazer o IPO rapidamente, em março ou abril, mas a Caixa Seguridade ainda precisa assinar acordos com seguradoras privadas para venda de diferentes tipos de seguros na rede da Caixa.

Na segunda-feira (6), foi anunciado o acordo com a japonesa Tokio Marine para venda de seguros residenciais. A Tokio Marine pagará R$ 1,5 bilhão no contrato com a Caixa.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: