Amazon fecha centro de distribuição em Nova York após funcionário testar positivo para coronavírus

Empresa disse que enviou seus empregados do depósito para casa com pagamento integral.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Reuters
Reuters

A Amazon disse que aumentou a limpeza de maçanetas, corrimões e outras superfícies em suas instalações

Acessibilidade


A Amazon disse hoje (19)a que está fechando temporariamente um pequeno centro de distribuição em Nova York depois que um de seus funcionários testou positivo para o coronavírus, uma medida que revela o risco operacional que a empresa enfrenta à medida que a doença se espalha.

A empresa disse que enviou seus funcionários do depósito para casa com pagamento integral, enquanto higieniza a instalação, a primeira nos Estados Unidos a ter um caso do vírus.

LEIA MAIS: Tudo sobre o coronavírus

“Estamos dando assistência ao indivíduo que está agora em quarentena”, afirmou a Amazon em comunicado. “Continuamos a servir os clientes enquanto cuidamos de nossos funcionários e seguimos todas as diretrizes das autoridades locais sobre as operações de nossos edifícios”.

A notícia é uma indicação de que a Amazon pode fechar outros centros de distribuição caso ocorram mais casos do vírus entre os funcionários. Isso representaria um obstáculo significativo para a maior varejista online do mundo, que já enfrenta a escassez de produtos e entregas mais lentas que o normal.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Amazon disse que aumentou a limpeza de maçanetas, corrimões e outras superfícies em suas instalações. A empresa tem intercalado os horários dos turnos, distanciado as mesas nas salas de descanso e pedido aos motoristas que mantenham distância dos clientes ao entregar pedidos.

Isso não atenuou o medo de contágio dos funcionários. Ontem (18), mais de 200 fizeram uma greve em um depósito da Amazon em Saran, ao sul de Paris, pedindo o fechamento da instalação.

O armazém de Nova York, no distrito do Queens, tem menos de 10% do tamanho dos grandes centros de distribuição da Amazon, e seu papel é separar os pedidos para entregas de última milha, de acordo com a consultoria logística MWPVL International.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: