CEO da Uber quer ajuda a motoristas e entregadores em pacote de estímulos dos EUA

REUTERS_Luisa Gonzalez
REUTERS_Luisa Gonzalez

A empresa está tentando reduzir ao máximo os impactos do coronavírus

O presidente-executivo da Uber, Dara Khosrowshahi, pediu hoje (23) que o governo dos Estados Unidos ajude seus motoristas e entregadores no pacote de estímulos para reduzir os impactos do coronavírus.

Parlamentares em Washington estão discutindo um acordo para injetar mais de US$ 1 trilhão na economia para limitar os danos econômicos causados pelo vírus, além das centenas de bilhões de dólares em estímulos fiscais e monetários que já foram implantados para sustentar a maior economia do mundo.

LEIA MAIS: Uber pode suspender temporariamente contas de contaminados por coronavírus

“Meu objetivo, ao escrever para vocês, não é pedir ajuda à Uber, mas sim aos trabalhadores independentes e, uma vez que passamos pela crise imediata, a oportunidade de fornecer legalmente a eles uma verdadeira rede de segurança daqui para frente”, disse Khosrowshahi em carta ao presidente dos EUA.

Khosrowshahi disse no Twitter que também pediu a parlamentares que exijam que empresas como a Uber forneçam novos benefícios e proteções a contratados independentes daqui para frente.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).