Equipe econômica suspende entrevistas coletivas presenciais

Com avanço do coronavírus, comunicados de autoridades e técnicos passam a ser virtuais.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
ReutersAdrianoMachado
ReutersAdrianoMachado

O ministro Paulo Guedes e demais autoridades também não entrarão no edifício-sede pela porta acessível ao público, mas pela garagem privativa

Acessibilidade


O Ministério da Economia informou hoje (17) que, numa ação preventiva para combate ao coronavírus, entrevistas coletivas de autoridades e técnicos passarão a ser virtuais, com a transmissão por streaming ou com suporte do canal público da TV.

O Banco Central também anunciou a suspensão das entrevistas coletivas de técnicos feitas mensalmente nos dias de divulgação das estatísticas relativas ao setor externo, ao crédito, à base monetária e ao resultado fiscal do setor público. Os dados continuarão a ser divulgados no site da instituição e a imprensa poderá esclarecer dúvidas por e-mail.

VEJA MAIS: Economia brasileira ainda pode crescer 2,5% em 2020 apesar de crise global, diz Guedes

Questionada se segue confirmada a entrevista do presidente do BC, Roberto Campos Neto, prevista para o próximo dia 26 –por ocasião da divulgação do Relatório Trimestral de Inflação (RTI)–, a assessoria de imprensa da autarquia disse que por ora não houve alteração desse cronograma.

No Ministério da Economia, foi definido, ainda, que o ministro Paulo Guedes e demais autoridades não mais entrarão no edifício-sede pela porta acessível ao público, mas pela garagem privativa.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em função da forte volatilidade nos mercados desde a semana passada, o ministro vinha falando com a imprensa com frequência na chegada ao prédio. Na véspera, também deu coletiva de imprensa em auditório fechado para falar sobre o pacote de medidas para enfrentamento ao coronavírus.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: