Telefônica Brasil e TIM planejam oferta conjunta por rede móvel da Oi

Ricardo Moraes/Reuters
Ricardo Moraes/Reuters

A Oi está em recuperação judicial desde 2016

A Telefônica Brasil e a TIM manifestaram na noite de ontem (10) interesse em uma negociação conjunta para compra da operação de telefonia celular da Oi, em uma transação que pode significar a saída de mais uma operadora do setor no país, concentrando o mercado nacional em três grandes grupos.

As companhias informaram o assessor financeiro da Oi Bank of America Merrill Lynch do interesse de ambas em iniciarem negociações para uma potencial aquisição de toda ou parte dos negócios com telefonia celular da Oi, que está em recuperação judicial desde 2016.

LEIA MAIS: Oi inicia processo para venda de ativos de telefonia móvel, diz Telefónica

Se as duas operadoras forem bem sucedidas, elas irão dividir entre si os negócios adquiridos, segundo comunicados enviados ao mercado.

Em setembro, a Reuters havia publicado que a Oi estava em negociações com as duas operadoras rivais para vender ativos e tentar evitar a insolvência.

Executivos de todas as três operadoras do Brasil, Telefônica, TIM e América Móvil (grupo Claro) afirmaram na ocasião que poderiam considerar um acordo com a Oi. Na época, o então vice-presidente de operações da Oi, Rodrigo Abreu, hoje presidente da empresa, afirmou que a operadora iria considerar vender sua operação de telefonia móvel se recebesse ofertas atraentes.

Também em setembro do ano passado, a América Móvil recebeu permissão do órgão de defesa da concorrência, Cade, para comprar a Nextel Brasil. O grupo mexicano anunciou o acordo para aquisição da rival em março passado, por US$ 905 milhões.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).