FGV: prévias dos índices de abril indicam menores níveis da história

Reprodução/Instagram

Houve forte perda de confiança em todos os quatro grandes setores (Indústria, Serviços, Comércio e Construção) e nos 49 segmentos pesquisados

A pandemia do novo coronavírus abateu a confiança de consumidores e de empresários de todos os setores da economia em abril, segundo a divulgação extraordinária de uma prévia das sondagens apuradas pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) recuou 27,6 pontos na prévia de abril ante o resultado fechado do mês de março, para 53,7 pontos. Já o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) caiu 22,1 pontos, para 58,1 pontos. Se confirmados, ambos os indicadores descerão aos menores níveis da série histórica.

VEJA MAIS: FGV: confiança da indústria no maior nível em 5 meses

Os resultados têm como base dados coletados até o dia 13 de abril. Na sondagem do Consumidor, o Índice de Situação Atual diminuiu 10,8 pontos, para 65,3 pontos, enquanto o Índice de Expectativas encolheu 29,1 pontos para 54,8 pontos.

No Índice de Confiança Empresarial – que consolida os indicadores de confiança da Indústria, Serviços, Comércio e Construção – o Índice de Situação Atual (ISA-E) recuou 29,4 pontos, para 62,2 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE-E) tombou 39,7 pontos, para 48,2 pontos.

Houve forte perda de confiança em todos os quatro grandes setores e nos 49 segmentos pesquisados. O Índice de Confiança da Indústria caiu 39,0 pontos na prévia de abril, para 58,5 pontos. O Índice de Confiança dos Serviços encolheu 34,9 pontos, para 47,9 pontos. O Índice de Confiança do Comércio diminuiu 26,8 pontos, para 61,3 pontos, enquanto o Índice de Confiança da Construção teve redução de 29,1 pontos, para 61,7 pontos.

As prévias das sondagens da FGV coletaram informações de 2.238 empresas e de 1.478 consumidores entre os dias 1 e 13 de abril. (Com Agência Estado)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).