China ganha novo bilionário da tecnologia

Reprodução Forbes
Equipe da Bilibili durante IPO da empresa no Nasdaq MarketSite em Nova York

O site de streaming da China Bilibili tem o segundo bilionário entre seus líderes, depois que as ações da empresa negociadas pela Nasdaq atingiram o recorde de ganhos financeiros no primeiro trimestre.

A participação de aproximadamente 8% do fundador Yi Xu foi avaliada em US$ 1 bilhão ontem (20), depois que as ações foram negociadas em até US$ 36,26.

VEJA TAMBÉM: Sony investe US$ 400 milhões em site chinês de vídeos Bilibili

As ações da Bilibili, com sede em Xangai, aumentaram depois que a empresa anunciou ontem que a receita nos primeiros três meses de 2020 cresceram 69% em relação ao ano anterior, para US$ 327 milhões.

Os investidores incluem Alibaba e Tencent. A Sony comprou em abril 5% da empresa popular entre os usuários da Geração Z.

O presidente da companhia, Chen Rui, chegou ao posto de bilionário no ano passado e, hoje, possui fortuna avaliada em US$ 1,7 bilhão, segundo o ranking de bilionários da Forbes em tempo real.

Xu, que é formado pela Beijing University of Posts and Telecommunications, fundou a Bilibili em 2009 e é diretor e presidente desde dezembro de 2013. Segundo o formulário de ações dos Estados Unidos, o novo bilionário tem apenas 30 anos.

O valor de mercado da Bilibili na manhã de ontem (20) ultrapassou US$ 12 bilhões.

A China abriga o segundo maior número de bilionários do mundo depois dos Estados Unidos. Os três principais nomes mais ricos do país são Ma Huateng da Tencent, Jack Ma do Alibaba e Colin Huang da Pinduoduo — todos construíram fortuna com negócios online.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).