Agência de comunicações dos EUA decide classificar Huawei e ZTE como ameaças à segurança nacional

Hannibal Hanschke/Reuters
Hannibal Hanschke/Reuters

Companhias chinesas Huawei e ZTE não comentaram o assunto de imediato

A agência de comunicações dos Estados Unidos (FCC) designou formalmente as gigantes chinesas Huawei e ZTE como ameaças à segurança nacional, uma declaração que impede empresas norte-americanas de usarem um fundo governamental de US$ 8,3 bilhões para comprar equipamentos delas.

O órgão regulador de telecomunicações dos EUA aprovou em novembro proposta para classificar as duas empresas chinesas como ameaças ao país e também propôs que as operadoras rurais removessem e substituíssem equipamentos de Huawei e ZTE.

VEJA TAMBÉM: Huawei diz que decisão dos EUA de restringir fornecimento de chips é ‘arbitrária’

“Não podemos e não permitiremos que o Partido Comunista chinês explore vulnerabilidades de rede e comprometa nossa infraestrutura crítica de comunicações”, disse o presidente da FCC, Ajit Pai, em comunicado nesta terça-feira.

Huawei e ZTE não comentaram o assunto de imediato, mas anteriormente criticaram fortemente as ações da FCC.

O comissário da FCC Geoffrey Starks disse hoje (30) que “equipamentos não confiáveis” permanecem em funcionamento nas redes norte-americanas e disse que o Congresso dos EUA deve alocar financiamento para que as substituições dos equipamentos sejam feitas.

Em maio de 2019, o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou uma decreto estabelecendo emergência nacional e impedindo as empresas do país de usarem equipamentos de telecomunicações produzidos por empresas que representem risco à segurança nacional. O governo Trump também adicionou a Huawei à lista negra comercial dos EUA no ano passado. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo: .

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).