Fabricante de chips Analog Devices comprará rival Maxim por US$ 21 bilhões

ReutersJason-Lee
ReutersJason-Lee

O negócio, que também é o maior já acertado pela Analog, criará uma potência na produção de chips com um valor combinado de US$ 68 bilhões

A fabricante de semicondutores Analog Devices anunciou a compra da rival Maxim Integrated Products por cerca de US$ 21 bilhões, na maior aquisição dos Estados Unidos este ano, com o objetivo de aumentar sua participação na produção de chips automotivos e redes 5G.

O negócio, que também é o maior já acertado pela Analog, criará uma potência na produção de chips com um valor combinado de US$ 68 bilhões, que competirá com rivais maiores, como a Texas Instruments.

LEIA MAIS: Mineradora SAM e Huawei assinam memorando para aplicar 5G em projeto em MG

O presidente-executivo da Analog Devices, Vincent Roche, disse à Reuters que as equipes de engenharia combinadas ajudarão a empresa a projetar chips mais especializados e com margens de lucro maiores, voltados para clientes como fabricantes de automóveis.

As empresas disseram que o acordo acrescentou a força da Maxim nos mercados automotivo e de data centers aos segmentos industriais, de comunicações e de saúde digital da Analog.

A Analog Devices fornece sensores, conversores de dados, amplificadores e outros produtos de processamento de sinais para uma variedade de setores, desde transporte e saúde a dispositivos portáteis de consumo.

A Maxim projeta e fabrica chips analógicos usados em carros, fábricas, energia, comunicações, assistência médica e dispositivos inteligentes.

A oferta avalia a Maxim em US$ 78,43 por ação, um prêmio de cerca de 22% em relação ao valor de fechamento de sexta-feira. As ações da Maxim subiam cerca de 6% hoje (13), enquanto as da Analog caíam 4,3%. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo: .

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).