SAP planeja IPO para a Qualtrics, aquisição que custou US$ 8 bilhões

ReproduçãoForbes
ReproduçãoForbes

O cofundador e CEO da Qualtrics, Ryan Smith, deverá ser o maior acionista individual da companhia

Vinte meses depois que a SAP entrou em ação e anunciou seu plano de adquirir a Qualtrics por US$ 8 bilhões, à beira de um IPO, a empresa de software de gerenciamento de experiências pode estar finalmente se tornando pública.

A SAP anunciou no domingo (26), que planeja lançar a Qualtrics e torná-la pública. A empresa continuaria sendo a proprietária majoritária da Qualtrics após o IPO, que provavelmente acontecerá nos Estados Unidos.

VEJA MAIS: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

Não se espera que a transação tenha impacto nas metas financeiras da SAP em 2020 ou até a “longo prazo”, dado seu plano de manter o controle majoritário, escreveu a SAP em seu arquivo. O cofundador e CEO da Qualtrics, Ryan Smith, deverá ser o maior acionista individual da companhia, segundo o documento. Nenhuma empresa divulgou nenhuma orientação sobre o momento que o IPO realmente acontecerá.

Em uma declaração fornecida à Forbes, Smith disse: “Desde que fundamos a Qualtrics, nosso objetivo tem sido ajudar as empresas a ter uma conversa em escala sobre as experiências que seus funcionários e clientes estão tendo e alavancar nosso sistema para agir. Isso um emocionante momento para fazer parte da Qualtrics e da SAP, e estamos entusiasmados por continuar construindo o ecossistema XM”.

“XM” se refere ao gerenciamento de experiência, uma categoria de software pelo qual a Qualtrics recebe crédito pela popularização. Fundada por Smith com seu pai e seu irmão em 2002, a Qualtrics emergiu como um grande sucesso para a comunidade tecnológica de Utah, nos EUA, tendo sido destaque na Forbes em 2017, antes de tentar se tornar pública no ano seguinte. Quatro dias antes da abertura de capital pretendida em novembro, a SAP, sediada na Alemanha, desembolsou US$ 8 bilhões em dinheiro, grande parte garantida por financiamento, para comprar a Qualtrics em um acordo formalmente fechado em janeiro de 2019, por US$ 1,3 bilhão.

A um preço que excedia 20 vezes sua receita esperada em 2018, de cerca de US$ 400 milhões, a aquisição foi extraordinariamente saliente para a SAP; o CEO por trás do acordo, Bill McDermott, anunciou sua saída alguns meses depois, insistindo que não estava relacionado ao investidor ativista Elliot Management, que assumia uma participação de 1% na empresa nesse ínterim.

Mais recentemente, a Qualtrics foi vista por alguns analistas como um dos pontos positivos dos negócios da SAP, que enfrentou momentos conturbados à medida que as empresas lidam com as consequências da disseminação da pandemia de Covid-19. Em um relatório de 24 de julho, o analista da Cowen, J. Derrick Wood, observou uma pesquisa com 60 parceiros globais da SAP, em que foi revelado que três quartos desses colaboradores haviam perdido suas metas de vendas no segundo trimestre, uma vez que os compradores atrasaram as decisões e reduziram o escopo de certos projetos por conta da crise. Isso afeta especialmente unidades de negócios como a Concur, outra antiga aquisição que fabrica software de despesas de viagens e negócios.

Mas, como as empresas vendem mais online e precisam rastrear clientes e funcionários remotamente, as unidades de comércio eletrônico da SAP e da Qualtrics têm mostrado pontos positivos, escreveu o analista da RBC Capital Markets, Alex Zukin, em nota no início de julho. Em relatórios recentes de ganhos, a SAP divulgou a integração da Qualtrics em outras unidades, como de software de recursos humanos, SuccessFactors.

Desvendar esse ponto positivo é um movimento ousado do executivo-chefe da SAP, Christian Klein, que assumiu o cargo de CEO solo em abril, depois de atuar como coCEO ao lado da ex-executiva Jennifer Morgan, em outubro de 2019. Em declarações à Forbes, Klein disse que “a Qualtrics superou nossas expectativas” em 2019 e afirmou que a empresa continuaria sendo importante para a SAP, mesmo com o lançamento de IPO. “Estamos e estaremos totalmente comprometidos com o gerenciamento de experiência da Qualtrics, sendo um elemento-chave da nossa Estratégia Empresarial Inteligente”, disse Klein.

A Qualtrics e a SAP esperam que um IPO possa oferecer a cada empresa o melhor dos dois mundos: o software da Qualtrics reforça as unidades de negócios da SAP e suas finanças por meio de forte desempenho de mercado, com a Qualtrics ainda se beneficiando da base de clientes da SAP e tendo mais independência para atrair e compensar talentos, fazendo suas próprias aquisições e buscando clientes e parceiros fora do ecossistema comum.

LEIA TAMBÉM: Adobe e IBM fazem parceria em software de marketing para indústria bancária

Após uma tentativa de IPO que foi bastante esperada, o mercado adotará a Qualtrics agora? A empresa registrou receita de 161 milhões de euros, ou cerca de US$ 188 milhões, no primeiro trimestre de 2020; quando a SAP reportar os lucros, analistas e potenciais investidores verão os primeiros resultados trimestrais de um ano para o outro da empresa, que disse no último trimestre que tinha 11.600 clientes e não era lucrativo para os GAAP. A Medallia, outra empresa que acompanha o envolvimento do cliente e as experiências com as raízes da pesquisa online, registrou receita de US$ 112,7 milhões no último trimestre, crescimento de 20%, e opera com uma capitalização de mercado de US$ 4,2 bilhões, queda de 30% em relação à alta de julho de 2019.

Um desafio, é claro, estará na execução –não apenas em um spin-out, mas em como cada parte lidará com o relacionamento. Abordar essas preocupações pode ser a causa da segunda declaração da Qualtrics emitida por Smith no domingo: “É raro que a equipe de liderança de uma empresa adquirida permaneça intacta quase dois anos após a aquisição”, disse o CEO. “Isso demonstra a força dessa parceria.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).