Lançamento de ferramenta do Instagram aumenta riqueza de Mark Zuckerberg em US$ 5,3 bilhões na semana

 Drew Angerer/Getty Images
Drew Angerer/Getty Images

Mark Zuckerberg foi o bilionário que mais aumentou seu patrimônio na última semana

O cofundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg (36), tornou-se brevemente o centibilionário mais jovem do mundo ontem. Seu patrimônio líquido ultrapassou a marca de US$ 100 bilhões dois dias após o Instagram lançar globalmente o Reels, um recurso quase idêntico à plataforma de vídeo TikTok, fazendo com que as ações do Facebook disparassem 12% na quinta (6) e ontem (7).

As ações do Facebook voltaram a um patamar realista ontem à tarde, mas ainda assim encerraram a semana 8% acima da sexta-feira anterior, ultrapassando em muito o índice S&P 500 (2,5%) e o Dow Jones Industrial Average (3,8%). Zuckerberg, que possui cerca de 15% da empresa, adicionou US$ 5,3 bilhões ao seu patrimônio líquido entre 31 de julho e 7 de agosto, tornando-o o maior ganhador da semana. A Forbes estima que seu patrimônio líquido seja de US$ 98,6 bilhões.

Leia mais: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

O Reels não poderia ter vindo em melhor hora para o Facebook. TikTok, o aplicativo queridinho da Geração Z (que é propriedade da empresa de tecnologia chinesa ByteDance) se tornou o alvo da ira do presidente dos EUA. Donald Trump disse em 31 de julho que baniria o aplicativo, considerando-o uma ameaça à segurança nacional (embora alguns especulem que seus esforços são, acima de tudo, uma retribuição pela brincadeira que ele sofreu em seu comício em Tulsa, Oklahoma, em junho). Na noite de quinta-feira, ele cumpriu a ameaça, emitindo uma ordem executiva que proibirá os americanos de fazer negócios com a ByteDance a partir de 20 de setembro. A ByteDance teria ameaçado processar o governo dos EUA em resposta.

Zuckerberg pode não ser o único bilionário a lucrar com o “caso TikTok”. A Microsoft, na qual o cofundador e ex-CEO Bill Gates ainda possui uma participação estimada de 1,4%, está em negociações para comprar o aplicativo da ByteDance. No domingo (2), a empresa disse em comunicado que buscaria adquirir o serviço do aplicativo no Canadá, na Austrália e na Nova Zelândia, além dos Estados Unidos, mas o “Financial Times” informou na quinta-feira que a Microsoft está planejando assumir todos os negócios globais da TikTok. Gates, de 64 anos, ainda não obteve ganhos inesperados no mercado com o potencial negócio: as ações da Microsoft subiram apenas 3,6% esta semana, deixando o bilionário com um valor patrimonial estimado de US$ 113,6 bilhões.

Os dois centibilionários restantes do mundo também viram ganhos nesta semana. Jeff Bezos (patrimônio líquido de US$ 189,8 bilhões), cuja fortuna cresceu US$ 2,6 bilhões na semana passada, vendeu US$ 3,1 bilhões em ações da Amazon na segunda (3) e na terça-feira (4). Não está claro por que isso aconteceu, mas ele prometeu vender ações anualmente para financiar sua empresa de exploração espacial, Blue Origin, e a Recode relatou que Bezos estabeleceu recentemente uma nova corporação, a Fellowship Ventures LLC, para ser o veículo de seus US$ 10 bilhões investidos para combater as mudanças climáticas.

Enquanto isso, o presidente e CEO da LVMH, Bernard Arnault (patrimônio líquido de US$ 107,1 bilhões), recuperou algum terreno depois que um relatório áspero de lucros para o conglomerado de luxo na semana passada levou a uma queda de US$ 6 bilhões em sua fortuna. Nesta semana, seu patrimônio líquido cresceu US$ 2,2 bilhões, com a recuperação parcial das ações.

E também: Trump proíbe WeChat e TikTok nos Estados Unidos

Veja na galeria de imagens a seguir os bilionários que mais ganharam nesta semana (a mudança líquida se refere aos valores de fechamento de mercado do período entre 31 de julho e 7 de agosto):

  • 1. Mark Zuckerberg
    Patrimônio líquido: US$ 98,6 bilhões (aumento de US$ 5,3 bilhões)
    Nacionalidade: Estados Unidos
    Fonte de riqueza: Facebook

    Johannes Simon/Getty Images
  • 2. Warren Buffett
    Patrimônio líquido: US$ 79,2 bilhões (aumento de US$ 5,2 bilhões)
    Nacionalidade: Estados Unidos
    Fonte de riqueza:Berkshire Hathaway

    Daniel Zuchnik/Getty Images
  • 3. Mukesh Ambani
    Patrimônio líquido:US$ 80,4 bilhões (aumento de US$ 2,9 bilhões)
    Nacionalidade:Índia
    Fonte de riqueza: Petróleo

    Rubina A. Khan/Getty Images
  • 4. Jeff Bezos
    Patrimônio líquido:US$ 289,8 bilhões (aumento de US$ 2,6 bilhões)
    Nacionalidade:Estados Unidos
    Fonte de riqueza: Amazon

    Mint/Getty Images
  • 5. Ernest Garcia II
    Patrimônio líquido:US$ 12,3 bilhões (aumento de US$ 2,3 bilhões)
    Nacionalidade:Estados Unidos
    Fonte de riqueza: Carvana

    MICHAEL NAGLE/BLOOMBERG
  • 6. Bernard Arnault
    Patrimônio líquido:US$ 107,1 bilhões (aumento de US$ 2,2 bilhões)
    Nacionalidade:França
    Fonte de riqueza: LVMH

    Christophe Morin/IP3 /Getty Images
  • 6. Wang Xing
    Patrimônio líquido:US$ 17,3 bilhões (aumento de US$ 2,2 bilhões)
    Nacionalidade:China
    Fonte de riqueza: E-Commerce

    VCG/Getty Images
  • 8. Steve Ballmer
    Patrimônio líquido:US$ 72,4 bilhões (aumento de US$ 2,1 bilhões)
    Nacionalidade:Estados Unidos
    Fonte de riqueza: Microsoft

    Allen Berezovsky/Getty Images
  • 9. Larry Xiangdong Chen
    Patrimônio líquido:US$ 11,9 bilhões (aumento de US$ 2 bilhões)
    Nacionalidade:China
    Fonte de riqueza: Tecnologia educacional

    IMAGINECHINA/Forbes EUA
  • 10. Suleiman Kerimov
    Patrimônio líquido:US$ 24,8 bilhões (aumento de US$ 1,8 bilhões)
    Nacionalidade:Rússia
    Fonte de riqueza: Investimentos

    Mikhail Tereshchenko/Getty Images

1. Mark Zuckerberg
Patrimônio líquido: US$ 98,6 bilhões (aumento de US$ 5,3 bilhões)
Nacionalidade: Estados Unidos
Fonte de riqueza: Facebook

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).