Heyday levanta US$ 175 milhões para desenvolver empresas terceirizadas da Amazon

Nurphoto/Getty Images
Nurphoto/Getty Images

O objetivo da empresa é apostar nos vendedores terceirizados da Amazon, que agora geram cerca de 60% das vendas dos produtos

Uma empresa sediada em São Francisco chamada Heyday levantou US$ 175 milhões da General Catalyst, Khosla Ventures e outros investidores para comprar, lançar e expandir negócios que operam na plataforma da Amazon.

Fundada em agosto deste ano pelos executivos Sebastian Rymarz e Adam Gerchen, a Heyday anunciou na segunda-feira (16) que levantou recursos uma rodada de financiamento da Série A. Empresas como Arbor Ventures e executivos da Amazon, eBay, PayPal e Magento também participaram da capitalização.

LEIA MAIS: Como virar milionário investindo em pequenos varejistas da Amazon

O objetivo da empresa é apostar nos vendedores terceirizados da Amazon, que agora geram cerca de 60% das vendas de produtos da gigante do comércio eletrônico, ante 3% em 1999 e 30% em 2008. Embora esses vendedores sejam a espinha dorsal do maior marketplace do país, a maioria deles ainda permanece pequena. Investidores com muito dinheiro identificaram uma oportunidade de acumular dezenas ou centenas de marcas nativas da Amazon, reunir recursos e reverter em vendas e lucro. O maior comprador de vendedores terceirizados da Amazon é a Thrasio, que arrecadou mais de US$ 500 milhões e foi avaliada em US$ 1 bilhão em julho. Outras empresas, como Perch e Boosted Commerce, também anunciaram financiamento significativo nos últimos meses para buscar potenciais negócios na plataforma.

Heyday/Reprodução/Forbes

Sebastian Rymarz, cofundador e CEO da Heyday

A empresa já adquiriu e lançou diversas marcas em categorias como eletrodomésticos, móveis e beleza. A expectativa é gerar US$ 20 milhões de receita por ano até o final de 2020 e ultrapassar US$ 200 milhões até o final de 2021.

Além disso, a Heyday está desenvolvendo uma tecnologia para administrar seu crescente portfólio de marcas, analisar o momento que deve aumentar a publicidade, ajustar os preços e solicitar estoque. Ela também planeja distribuir essa tecnologia para empresas terceirizadas que não estão interessadas ​​em vender seus negócios, mas desejam atualizar suas operações. “Queremos que a Heyday seja o lugar para quem inicia uma negócio, vende na Amazon ou comercializa em outros mercados”, diz Mark Crane, sócio da General Catalyst.

O cofundador e CEO, Sebastian Rymarz, criou a Heyday após uma passagem de seis anos pela Fundbox, uma fintech que oferece linhas de crédito para pequenas empresas. Em sua antiga função, ele viu quantos empresários lutavam para conseguir o capital de giro necessário para crescer. Aqueles que operam na Amazon são, muitas vezes, empreendedores individuais que trabalham em casa e cresceram até certo ponto, mas têm limitações de capital, mão de obra e tecnologia para escalar seus negócios. Também não havia muitas opções de venda do negócio, uma vez que os investidores institucionais só estavam interessados ​​em operações maiores.

“A Amazon oferece muitas ferramentas, mas ainda existem lacunas muito grandes”, diz Rymarz. “Estamos construindo uma plataforma de comércio eletrônico para fazer as marcas crescerem neste segmento.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).