Paris fechará mercado histórico de pássaros

Pascal Rossignol/Reuters
Pascal Rossignol/Reuters

Segundo autoridades, o mercado se tornou o epicentro do tráfico de pássaros na região de Paris, inclusive de pássaros ameaçados de extinção

Canários, periquitos e mandarins não piarão mais das pequenas gaiolas à sombra da catedral de Notre Dame agora que Paris votou a favor do fechamento de seu mercado de pássaros do século XIX por considerá-lo inadequado para os tempos atuais.

Aberto aos domingos, o mercado na ilha da Île de la Cité, no Rio Sena, é um ímã de turistas e parisienses com crianças há décadas, mas uma campanha de um grupo de direitos dos animais contrário a ele e planos de reforma do local levaram o conselho municipal a decidir pelo fechamento.

LEIA TAMBÉM: Padeiros franceses querem que Unesco reconheça baguete como tesouro cultural

“O mercado se tornou o epicentro do tráfico de pássaros na região de Paris, inclusive de pássaros ameaçados de extinção“, disse o vice-prefeito parisiense, Christophe Najdovksi, à Reuters.

“Uma segunda razão para fechá-lo é que as condições nas quais os pássaros são apresentados não são mais aceitáveis“, disse.

Aberto em 1808, o mercado de pássaros deve fechar quando a cidade finalizar a reforma do saguão do mercado de flores com toldos de ferro fundido históricos no mesmo local em 2023-25.

Até lá, os amantes de pássaros ainda podem comprar um periquito por € 10 e canários e pássaros canoros por € 25.

A capital francesa disse que 13 pessoas têm licença para vender pássaros no mercado, mas só sete a usam, e a maioria também vende outras coisas, como suprimentos para animais de estimação.

“Nos próximos meses, ajudaremos os vendedores de pássaros com uma transição para um novo modelo de negócio”, disse Najdowski. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).