Vacina contra Covid-19 da Pfizer reduz transmissão após uma dose, diz estudo britânico

Análise de exames de profissionais de saúde vacinados leva a crer em uma redução de quatro vezes no risco de infecções assintomáticas pelo novo coronavírus.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Brendan McDermid/Reuters
Brendan McDermid/Reuters

Estudo mostra que a vacina da Pfizer não só oferece proteção contra a doença, mas também ajuda a evitar infecções, diminuindo o potencial de o vírus ser passado para outros

Acessibilidade


Uma única dose da vacina contra Covid-19 da Pfizer e da BioNTech reduz o número de infecções assintomáticas e poderia diminuir consideravelmente o risco de transmissão do vírus, mostraram resultados de um estudo britânico hoje (26).

Pesquisadores analisaram resultados de milhares de exames de Covid-19 realizados todas as semanas como parte de um monitoramento hospitalar de profissionais de saúde de Cambridge, no leste da Inglaterra.

VEJA TAMBÉM: Pfizer estuda mais uma dose de reforço de vacina contra Covid-19

“Nossas descobertas mostram uma redução dramática na taxa de exames de monitoramento positivos entre profissionais de saúde assintomáticos após uma única dose da vacina Pfizer-BioNTech”, disse Nick Jones, especialista em doenças infecciosas do Hospital da Universidade de Cambridge que coliderou o estudo.

Depois de separar os resultados de exames de profissionais vacinados e não vacinados, a equipe de Jones descobriu que 0,80% dos exames de profissionais não vacinados deram positivo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A taxa foi de 0,37% nos exames de profissionais de saúde menos de 12 dias após a vacinação – quando o efeito protetor da vacina ainda não está totalmente estabelecido – e de 0,20% nos exames de profissionais de saúde 12 dias ou mais após a vacinação.

O estudo e seus resultados ainda têm que passar por uma análise independente da comunidade científica, mas foram publicados na internet como documento pré-impressão hoje (26).

Isto leva a crer em uma redução de quatro vezes no risco de infecções assintomáticas de Covid-19 entre profissionais de saúde que foram vacinados há mais de 12 dias, e 75% de proteção, disse Mike Weekes, especialista em doenças infecciosas do departamento de Medicina da Universidade de Cambridge que coliderou o estudo.

O nível de infecções assintomáticas também foi reduzido pela metade naqueles vacinados há menos de 12 dias, disse ele.

O Reino Unido está realizando inoculações com a vacina da Pfizer e uma da AstraZeneca desde o final de dezembro de 2020.

“Esta é uma ótima notícia: a vacina da Pfizer não só oferece proteção contra a doença do SARS-CoV-2, mas também ajuda a evitar infecções, diminuindo o potencial de o vírus ser passado para outros”, disse Weekes. “Mas temos que nos lembrar que a vacina não dá proteção completa para todos.” (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: