Arnault ultrapassa novamente Bezos e se torna a pessoa mais rica do mundo

Com fortes regulamentações chinesas, os bilionários que residem no país asiático foram os que mais sofreram quedas na semana.

Hank Tucker
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Jeff Bezos perde o posto de homem mais rico do mundo para o magnata francês Bernard Arnault

Acessibilidade


Jeff Bezos não é mais a pessoa mais rica do planeta, e desta vez não é porque deixou fisicamente a Terra em um foguete Blue Origin. As ações da Amazon despencaram 7,6% ontem (30) depois que a empresa divulgou os lucros do segundo trimestre, na tarde da última quinta-feira (30), reduzindo US$ 13,9 bilhões da fortuna de seu fundador em um dia e empurrando Bezos para trás do magnata francês Bernard Arnault.

As ações do conglomerado de bens de luxo de Bernard Arnault, LVMH, caíram 1,4% ontem (30), deixando o bilionário US$ 2,9 bilhões mais pobre, mas ele ainda terminou a semana com um patrimônio líquido estimado em US$ 192,9 bilhões, US$ 500 milhões à frente do ex-CEO da Amazon. Os dois disputaram o posto de mais rico do mundo no final de maio e início de junho, mas Bezos passou os últimos 50 dias como a pessoa mais rica, apesar de sua breve viagem interestelar em 20 de julho.

LEIA MAIS: Bilionários brasileiros perdem US$ 8,3 bilhões em julho; Jorge Lemann lidera quedas

Com as ações da LVMH atingindo o patamar mais alto na maior parte do verão norte-americano, Arnault aumentou sua riqueza em mais de US$ 100 bilhões no mesmo período. O bilionário possui uma participação de 47% no capital social da companhia, que tem uma capitalização de mercado de mais de US$ 400 bilhões. Suas subsidiárias incluem Louis Vuitton, Moët & Chandon, Christian Dior e Tiffany & Co.

Apesar da queda nas ações, a Amazon estava longe de um fracasso no segundo trimestre. O negócio gerou US$ 113 bilhões em receita – 27% maior do que no mesmo período do ano passado – e US$ 7,8 bilhões em lucro líquido.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Amazon disse na última quinta-feira (30) que prevê que a receita do terceiro trimestre fique entre US$ 106 bilhões e US$ 112 bilhões, abaixo dos US$ 119 bilhões que os analistas esperavam. O diretor financeiro da Amazon, Brian Olsavsky, atribuiu a desaceleração ao fato de as pessoas se sentiram mais confortáveis ​​saindo de casa para fazer compras e gastar em outras atividades… “diferente do que aconteceu no período mais forte da pandemia.”

O declínio da Amazon também reduziu o patrimônio líquido da ex-mulher de Bezos, MacKenzie Scott, para cerca de US$ 56 bilhões, uma queda de US$ 4,6 bilhões, tornando-a a 22ª pessoa mais rica do mundo.

Além de Bezos e MacKenzie, a maior parte dos bilionários perdedores desta semana residem na China, onde as ações seguiram caindo devido à contínua repressão ao setor de tecnologia do país. Este mês, as autoridades chinesas forçaram as lojas de aplicativos a remover a gigante Didi – dias depois de seu IPO nos Estados Unidos – de seu leque de transportadoras.

Outros movimentos do governo chinês foram a obrigação de instituições de ensino se registrarem como empresas sem fins lucrativos, a também obrigação da gigante Tecent de abrir mão seus direitos de licenciamento exclusivos de música online e a necessidade das plataformas de delivery de alimentos garantirem direitos aos trabalhadores, como salário mínimo e seguridade social.

LEIA MAIS: Bezos x MacKenzie: a disputa filantrópica dos bilionários da Amazon

A fortuna do CEO da Tencent, Ma Huateng, caiu US$ 4,7 bilhões, terminando a tarde de ontem (30) a US$ 47,5 bilhões. Nesta semana, as ações da empresa caíram 8,5%. O índice CSI 300, que acompanha o desempenho das maiores ações listadas na China, caiu 5,5% entre segunda-feira (26) e ontem (30), e o índice Hang Seng que acompanha o mercado de ações de Hong Kong caiu 5% no mesmo período.
Veja os dez bilionários que mais perderam patrimônio nesta semana:

  • Reprodução/Forbes

    1. Jeff Bezos

    Patrimônio: US$ 192,4 bilhões, queda de US$ 16,8 bilhões

    País: Estados Unidos

    Fonte da fortuna: Amazon

  • Getty Images

    2. MacKenzie Scott

    Patrimônio: US$ 56 bilhões, queda de US$ 5,5 bilhões

    País: Estados Unidos

    Fonte da fortuna: Amazon

  • Getty Images

    3. Ma Huateng

    Patrimônio: US$ 47,5 bilhões, queda de US$ 4,7 bilhões

    País: China

    Fonte da fortuna: Companhias de internet / Tencent

  • Getty Images

    4. Wang Xing

    Patrimônio: US$ 17,1 bilhões, queda de US$ 4,2 bilhões

    País: China

    Fonte da fortuna: E-commerce / Meituan

  • Reprodução/Forbes

    5. Zhang Yong

    Patrimônio: US$ 11 bilhões, queda de US$ 4 bilhões

    País: Singapura

    Fonte da fortuna: Restaurantes / HaiDiLao

  • Reprodução/Facebook

    6. Yang Huiyan

    Patrimônio: US$ 27,9 bilhões, queda de US$ 2,6 bilhões

    País: China

    Fonte da fortuna: Mercado imobiliário

  • South China Morning Post/Getty Images

    7. Xu Jiayin

    Patrimônio: US$ 14,6 bilhões, queda de US$ 2,6 bilhões

    País: China

    Fonte da fortuna: Mercado imobiliário

  • Getty Images

    8. Mukesh Ambani

    Patrimônio: US$ 77,6 bilhões, queda de US$ 2,5 bilhões

    País: Índia

    Fonte da fortuna: Reliance Industries

  • Getty Images

    9. Pierre Omidyar

    Patrimônio: US$ 24,3 bilhões, queda de US$ 2,5 bilhões

    País: Estados Unidos

    Fonte da fortuna: Ebay e PayPal

  • Reprodução/Forbes

    10. Li Xiting

    Patrimônio: US$ 22 bilhões, queda de US$ 2,5 bilhões

    País: China

    Fonte da fortuna: Aparelhos hospitalares

Reprodução/Forbes

1. Jeff Bezos

Patrimônio: US$ 192,4 bilhões, queda de US$ 16,8 bilhões

País: Estados Unidos

Fonte da fortuna: Amazon

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: