Governo define condições para liberação de crédito a cafeicultores atingidos por geadas

Para esta linha de crédito, a taxa de juro está mantida em 7% ao ano, ressaltou o ministério em nota

Redação
Compartilhe esta publicação:
Roosevelt Cassio/Reuters
Roosevelt Cassio/Reuters

Inspeção de safra afetada pela geada em Varginha, Minas Gerais, Brasil

Acessibilidade


O Ministério da Agricultura definiu em reunião extraordinária do Conselho Deliberativo da Política do Café, ontem (14), as condições para a liberação de R$ 1,318 bilhão do fundo Funcafé para financiar os agricultores que tiveram perdas com geadas em regiões da cultura, disse a pasta hoje (15).

Para esta linha de crédito, a taxa de juro está mantida em 7% ao ano, ressaltou o ministério em nota.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“O Voto será submetido ao Conselho Monetário Nacional, para em seguida disponibilizar essa linha de crédito aos Agentes Financeiros que operam com o Funcafé, de maneira que no início de novembro o recurso esteja à disposição dos cafeicultores”, disse a pasta.

Para a recuperação e replantio das áreas afetadas o orçamento deverá acompanhar de laudo técnico expedido por um engenheiro agrônomo creditado pelo agente financeiro ou pela Empresa Estadual de Assistência Técnica.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Para o financiamento do replantio será exigido o enquadramento no zoneamento de risco climático em áreas que sejam aptas para a atividade cafeeira.”

Uma prolongada seca seguida por geadas ocorridas em julho resultarão em perdas significativas para a cafeicultura do Brasil, inclusive para a próxima safra.

Em Minas Gerais, principal Estado produtor, as perdas atingiram cerca de 20% das áreas, segundo a Emater. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: