Indonésia deve emitir primeiras licenças de exportação de óleo de palma desde proibição

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


Por Bernadette Christina

JACARTA (Reuters) – A Indonésia recebeu seus primeiros pedidos de licenças de exportação de óleo de palma após suspender uma proibição aos embarques há uma semana.

Alguns desses pedidos podem ser concedidos nesta segunda-feira, disse um alto funcionário do governo, sinalizando uma retomada calibrada dos embarques em meio a atrasos prolongados.

Embora a Indonésia, o maior produtor mundial de óleo de palma, tenha permitido oficialmente o reinício das exportações após uma paralisação de três semanas, as empresas estão enfrentando obstáculos regulatórios que retardam o processo de liberação de seus embarques.

“A partir desta manhã, havia cinco a seis empresas que enviaram uma solicitação e o sistema as processaria imediatamente. Esperamos que as licenças possam ser emitidas hoje”, disse Veri Anggriono, um alto funcionário do Ministério do Comércio.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Indonésia está exigindo que as empresas reservem uma parte de suas exportações de óleo de palma para o mercado local sob uma Obrigação do Mercado Doméstico (DMO) e participem de um programa de óleo de cozinha a granel projetado para manter o abastecimento doméstico e refrear os preços.

O volume que as empresas podem exportar dependeria de sua capacidade de refino e da demanda doméstica de óleo de cozinha, de acordo com os regulamentos.

Veri disse que a relação entre a alocação para exportações e a distribuição doméstica coloca o DMO em torno de 20%.

(Por Bernadette Christine Munthe, reportagem adicional de Zahra Matarani)

Compartilhe esta publicação: