Preços do petróleo sobem mais de 5% com disputa energética entre Rússia e UE

Por David Gaffen NOVA YORK (Reuters) – Os preços do petróleo subiram mais de 5% nesta quarta-feira depois que os fluxos de gás russo para a Europa caíram e a Rússia anunciou sanções a algumas.

Compartilhe esta publicação:

Por David Gaffen

Acessibilidade


NOVA YORK (Reuters) – Os preços do petróleo subiram mais de 5% nesta quarta-feira depois que os fluxos de gás russo para a Europa caíram e a Rússia anunciou sanções a algumas empresas de gás europeias, aumentando a incerteza nos mercados mundiais de energia.

Os preços do petróleo e do gás subiram desde que Moscou invadiu a Ucrânia em fevereiro e os Estados Unidos e aliados em seguida impuseram pesadas sanções à Rússia. O comércio de petróleo foi restringido e a Rússia ameaçou cortar o fornecimento de gás para a Europa, embora não tenha adotado a medida.

O petróleo Brent fechou em alta de 5,05 dólares, ou 4,9%, para 107,51 dólares o barril, enquanto o petróleo dos EUA avançou 5,95 dólares o barril para 105,71 dólares, um aumento de 6%.

A União Europeia ameaçou um embargo total ao petróleo russo, embora as negociações continuem. Devido ao papel da Rússia como o maior exportador de petróleo e combustível, as interrupções –que devem piorar– fizeram com que os mercados apertassem em todo o mundo, especialmente para produtos refinados como o diesel.

“Os preços continuarão subindo, especialmente se a União Européia chegar a um acordo para eliminar gradualmente as compras de petróleo russo ao longo deste ano”, disse Andrew Lipow, presidente da Lipow Oil Associates em Houston.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

(Reportagem adicional de Alex Lawler em Londres, Laura Sanicola e Arathy Somasekhar)

Compartilhe esta publicação: