Rússia quer reduzir concorrência com ataques a silos da Ucrânia, diz ministro alemão

Compartilhe esta publicação:

HAMBURGO (Reuters) – Os ataques russos à infraestrutura de grãos da Ucrânia parecem tentativas de reduzir a concorrência nos mercados de exportação da Rússia, disse o ministro da Agricultura alemão, Cem Oezdemir, nesta segunda-feira.

Acessibilidade


A Ucrânia pode perder dezenas de milhões de toneladas de grãos devido ao bloqueio russo de seus portos no Mar Negro, provocando uma crise alimentar que atingirá Europa, Ásia e África, disse o presidente Volodymyr Zelenskiy mais cedo.

“Estamos recebendo repetidamente relatórios sobre ataques russos direcionados a silos de grãos, depósitos de fertilizantes, áreas agrícolas e infraestrutura”, disse Oezdemir ao Redaktionsnetzwerk Deutschland, uma rede de cooperação de jornais regionais alemães.

A Rússia nega atacar áreas civis.

Cresce a suspeita de que o presidente russo, Vladimir Putin, esteja buscando “a longo prazo remover a Ucrânia como concorrente”, disse Oezdemir.

A Rússia e a Ucrânia são tradicionalmente grandes concorrentes nos mercados globais de grãos. Os preços externos do trigo subiram cerca de 40% desde que a invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro cortou os suprimentos disponíveis nos mercados mundiais do Mar Negro.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

De acordo com dados do Conselho Internacional de Grãos (IGC, na sigla em inglês), a Ucrânia foi o quarto maior exportador de grãos do mundo na temporada 2020/21, vendendo 44,7 milhões de toneladas no exterior. O volume de exportações caiu drasticamente desde a invasão russa.

“Com o aumento da fome no mundo, a Rússia está tentando aumentar a pressão”, disse Oezdemir à rede. “Ao mesmo tempo, o aumento maciço dos preços de mercado está sendo útil para a Rússia porque isso traz dinheiro novo para o país.”

Oezdemir disse que levantaria a questão de como a Ucrânia poderia ser ajudada a aumentar suas exportações de grãos em uma reunião dos ministros da agricultura do G7 em meados de maio.

“Devemos buscar métodos alternativos de transporte”, disse ele. “O transporte ferroviário poderia ser uma forma de exportar mais grãos, embora com muito esforço e com capacidade limitada.”

A Alemanha procuraria dar assistência, acrescentou.

A Ucrânia tem tentado expandir gradualmente as exportações de cereais por via terrestre para a União Europeia. Mas as diferentes bitolas de trilhos na Ucrânia e na UE significam que os trens ucranianos não podem operar automaticamente na rede ferroviária do bloco.

(Reportagem de Michael Hogan)

Compartilhe esta publicação: