Açúcar bruto avança na ICE com foco na safra do Brasil; café recua 2%

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


NOVA YORK/LONDRES (Reuters) – Os contratos futuros de açúcar bruto na ICE fecharam em alta nesta terça-feira, depois de atingirem uma mínima de quase quatro meses na sessão anterior, com os dados de moagem de cana-de-açúcar do principal produtor Brasil no início de junho abaixo das estimativas.

AÇÚCAR

* O açúcar bruto para julho fechou em alta de 1,3%, ou 0,23 centavo de dólar, a 18,53 centavos de dólar por libra-peso, após recuar para mínima desde 1º de março a 18,20 centavos na segunda-feira.

* A moagem de cana-de-açúcar no centro-sul do Brasil ficou aquém das estimativas de mercado na primeira quinzena de junho em meio ao clima adverso.

* “Acho que foi favorável aos preços”, disse um corretor dos EUA sobre os números do Brasil, que também mostraram rendimentos agrícolas ruins e teor de açúcar abaixo do esperado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

* O açúcar branco para agosto subiu 10,90 dólares, ou 2,0%, a 552,50 dólares a tonelada.

CAFÉ

* O café arábica para setembro caiu 4,35 centavos de dólar, ou 2%, para 2,1775 dólares por libra-peso, após recuar para mínima de um mês de 2,1710 dólares.

* Operadores disseram que não há risco de frio que ameace a safra nas áreas de café do Brasil nas próximas duas semanas e o clima seco geral favoreceria a colheita.

* O arábica está sendo apoiado, no entanto, por uma queda constante nos estoques certificados pela ICE e por vendas limitadas de produtores no Brasil, onde os agricultores esperam que os preços locais subam ainda mais.

* O café robusta para setembro recuou 23 dólares, ou 1,1%, para 2.017 dólares a tonelada.

(Reportagem de Marcelo Teixeira e Maytaal Angel)

Compartilhe esta publicação: