Agência dos EUA deve reexaminar impacto do glifosato à saúde após ordem judicial

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


Por Jonathan Stempel

(Reuters) – A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) recebeu determinação de um tribunal federal de apelações nesta sexta-feira para avaliar novamente se o glifosato, ingrediente ativo no herbicida Roundup, da Bayer, representa riscos a humanos e ao meio ambiente.

Um tribunal federal concordou com vários grupos ambientais e de segurança alimentar que a EPA não considerou adequadamente os riscos de câncer e o perigo para espécies.

O processo começou após a agência autorizar novamente o uso do glifosato em janeiro de 2020.

A unidade Monsanto, da Bayer, que fabrica o Roundup, opõe-se aos grupos que desafiam a reautorização da agência.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A decisão de sexta-feira não impede as pessoas de usarem o Roundup ou produtos similares.

Uma porta-voz da EPA disse que a agência reavaliará o processo.

A Bayer disse que a EPA realizou uma “avaliação rigorosa” de mais de 40 anos de ciência e que acredita que a agência continuará a concluir que os herbicidas à base de glifosato são seguros e não cancerígenos.

(Reportagem de Jonathan Stempel em Nova York)

Compartilhe esta publicação: