Exportação de café do Brasil sobe 5% em maio com ‘leve’ avanço logístico, diz Cecafé

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


SÃO PAULO (Reuters) – As exportações totais de café do Brasil, incluindo o produto industrializado, aumentaram 5,1% em maio, para 2,8 milhões de sacas de 60 kg, com uma “leve” melhora na logística, informou nesta quinta-feira o Conselho dos Exportadores de Café (Cecafé).

Considerando apenas o café verde, o país ampliou os embarques em 5,9%, para 2,528 milhões de sacas, com impulso de 15,6% dos negócios da variedade arábica, para 2,407 milhões de sacas, enquanto as exportações de robusta recuaram 60,1%, para 121,1 mil sacas.

Segundo o presidente do Cecafé, Günter Häusler, a melhora registrada no volume embarcado em maio deste ano permitiu que o país mitigasse moderadamente as quedas observadas nos acumulados da temporada 2021/22, que registra recuo de quase 15%, para 36,29 milhões de sacas.

“A pequena alta no mês passado é reflexo de uma leve melhora logística, que possibilitou embarcar o café previsto para maio e parte das cargas que estava represada nos portos”, disse ele, em nota.

Entretanto, Häusler pondera que o cenário desafiador aos exportadores permanece diante dos gargalos logísticos, ocasionado pelo congestionamento em grandes portos da Ásia e da América do Norte, e da continuidade do conflito entre Rússia e Ucrânia.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Os exportadores brasileiros continuam enfrentando dificuldades para a obtenção de contêineres e espaço nos navios e se deparando com fretes muito caros”, afirmou.

O presidente do Cecafé ainda chamou a atenção para o impacto da guerra na Ucrânia, que “além de toda a tragédia humana observada traz impactos diretos em nossos embarques”.

A Rússia, que normalmente figurava como sexto principal destino, caiu para a 13ª posição, apresentando queda de 43% nas importações. A Ucrânia, ainda que com volume mais modesto nas aquisições, já registra recuo de 65%, segundo dados do Cecafé.

Com relação às receitas, o presidente do Cecafé disse que refletem o patamar elevado nos preços internacionais e internos do produto, além do dólar valorizado frente ao real.

O embarques renderam 668,1 milhões de dólares ao país em maio, apresentando crescimento de 83,1% na mesma comparação.

(Por Roberto Samora)

Compartilhe esta publicação: