Trigo toca mínima desde fim de março em Chicago; soja e milho recuam

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


Por Mark Weinraub

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros do trigo nos Estados Unidos caíram 5,7% nesta terça-feira para seu nível mais baixo em dois meses e meio, pressionados pela colheita antecipada nos Estados Unidos e na Europa, bem como por novos esforços para aumentar a quantidade de grãos embarcada da Ucrânia.

Os contratos futuros de milho caíram 3%, já que as previsões meteorológicas ficaram mais frias para o final de junho e início de julho, um importante período de desenvolvimento da safra no Meio-Oeste dos EUA.

A queda do milho pesou sobre a soja, que atingiu sua mínima desde 1º de junho e registrou seu sexto fechamento negativo em sete sessões.

Na bolsa de Chicago, o trigo soft vermelho de inverno para julho fechou em queda de 59 centavos de dólar a 9,7525 dólares o bushel. Os preços chegaram a 9,7350 dólares, a mínima desde 29 de março.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“O início da colheita de trigo nos EUA e na Europa está gerando pressão adicional sobre os preços”, disseram analistas do Commerzbank em nota.

O milho para julho recuou 23,50 centavos de dólar a 7,6075 dólares o bushel, e a soja para julho caiu 21 centavos de dólar a 16,81 dólares o bushel.

(Reportagem adicional de Gus Trompiz em Paris e Naveen Thukral em Cingapura)

Compartilhe esta publicação: