Pela primeira vez em 85 anos, saem mais imigrantes mexicanos do que entram nos Estados Unidos

Fluxo de saída supera o fluxo de entrada em 140 mil pessoas .

Redação
Compartilhe esta publicação:
iStock

iStock

Acessibilidade


Há uma mudança de um movimento histórico nos Estados Unidos hoje. Segundo o mais novo relatório da consultoria Pew Research Center, mais de um milhão de imigrantes mexicanos e suas famílias, incluindo crianças nascidas nos EUA, voltaram para o seu país entre 2009 e 2014. Isso representa uma reversão histórica visto que “apenas” 870.000 mudaram-se para o país vizinho durante o mesmo período. Ou seja, mais pessoas saíram do que entraram, algo que não acontecia há décadas.

Veja também: O preço do green card: quanto custa para se tornar um cidadão norte-americano

Desde 1929, quando aconteceu a Grande Depressão nos Estados Unidos, o números de mexicanos a entrarem no país ao norte sempre havia sido maior do que o de saída. Estima-se que este número tenha passado de 12 milhões de pessoas, mais da metade de forma ilegal.

Entre as razões por trás da mudança está a recuperação econômica desigual: desde a recessão norte-americana de 2009, as indústrias nas quais grande parte dos imigrantes trabalhavam não se recuperaram. A diminuição da taxa de natalidade no México e o desenvolvimento econômico do país também motivou a volta.

Saiba mais: 25 maiores bilionários da América Latina

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Além disso, o reforço na segurança da fronteira entre os dois países tem dificultado cada vez mais a entrada de imigrantes ilegais nos Estados Unidos, país que tem recebido um número recorde de imigrantes da América Central nos últimos anos.

Compartilhe esta publicação: