Cientistas descobrem pista sobre o surgimento da vida na Terra

Estudo sugere que explosões solares gigantescas teriam proporcionado condições ideais

Blog da Redação
Compartilhe esta publicação:
iStock

iStock

Acessibilidade


Explosões solares três vezes mais potentes do que as já registradas pela astronomia moderna podem ter produzido as condições ideais para o surgimento da vida na Terra.

Um estudo da “Nature Geoscience”, revista de astronomia, mapeou estrelas como o Sol através do telescópio Kepler e mostrou como teria sido o Sistema Solar em seus primeiros momentos, quando o grande astro era muitas vezes mais ativo do que é hoje.

VEJA MAIS: Satélites da NASA flagram reconexão magnética pela primeira vez

“Sabemos que a vida na Terra surgiu há 4 bilhões de anos. Mas o que não sabemos é por que surgiu há 4 bilhões de anos, e não há 1, 2 ou 3”, explicou o coautor do estudo Vladimir Airapetian.

O cientista acredita que a resposta possa estar nas explosões solares, que teriam ajudado a aquecer a atmosfera da Terra. “Não faz sentido que a Terra tenha ficado tanto tempo congelada para descongelar depois naturalmente, quando a energia do nossos astro já não era tão forte”, contou Ramses Ramirez, outro cientista que participou da pesquisa.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Geralmente, as explosões solares são seguidas de grandes bolsões de plasma, conhecidos como ejeções de massa coronal (EMC).

E AINDA: Elon Musk planeja viagem a Marte até 2018

As EMC carregam partículas da grande estrela até o campo magnético da Terra. Algumas dessas interagem com elementos neutros da atmosfera terrestre, como o nitrogênio. Com a quebra deste elemento, a combinação se torna quimicamente mais reativa, a ponto de se recombinar com outras moléculas do planeta.

“Essas descobertas interferem na maneira como enxergamos o nosso clima, a vida no planeta e os exoplanetas orbitando estrelas parecidas com o Sol”, disse Ramirez.

RANKING: 70 maiores bilionários do mundo em 2016

Somente na nossa galáxia, há milhares de planetas nas mesmas condições que a Terra. Ainda que alguns cientistas sejam céticos em relação a possíveis seres vivos próximos de estrelas recém-nascidas, muitos acreditam que, depois dos primeiros momentos turbulentos, a calmaria de bilhões de anos poderia ser suficiente para o surgimento da vida.

Compartilhe esta publicação: